14.1.11

Musas de galochas

A Defesa Civil do Rio informou na manhã desta sexta-feira que subiu para 510 o total de óbitos na região serrana do Rio.
A presidente Dilma Rousseff sobrevoou ontem (dia 13) as áreas afetadas e afirmou que a situação é "dramática" e que as cenas que presenciou são "muito fortes".
O governador Sérgio Cabral (PMDB) voltou a culpar as prefeituras das cidades da região serrana pelo incentivo à moradia em áreas de risco.
E toma-se conhecimento de que mais de 30 projetos com medidas para minimizar os efeitos das e
nchentes estão simplesmente parados no Congresso.
Agora falta
comentar sobre as "musas de galochas".
Essa nova fauna da imprensa apareceu em São Paulo no ano passado e assim foi apelidada p
ois, a cada enchente da cidade, tais repórteres faziam questão de caminhar pelas ruas inundadas - vestindo galochas - e proclamar com grande satisfação a "ineficiência" do prefeito e do governador na solução dos problemas. Dava para notar claramente como salivavam de satisfação ao detonarem com as autoridades - já que estas não eram do partido governista.
Agora, as musas de galochas estão fazendo a cobertura na terra do PT. Todas muito compungidas, todas muito entristecidas, citam a grande quantidade de chuva, mostram os dramas... mas nehuma fala mal dos prefeitos das cidades serranas, nem tampouco do governador. Que é aliado do partido governista.
Tenho muito respeito por jornalistas. Meu filho é jornalista, e dele tenho muito orgulho. Mas alguém tem de dar um basta no jornalismo faccioso, mentiroso, nefasto, político. Como aquele apresentado pelas tais musas de galochas.

Foto: Revista Veja

Nenhum comentário:

Postar um comentário