12.12.10

Quando o cafetão é o estado

A prefeitura de Dortmund, no oeste da Alemanha, criou um imposto sobre a prostituição para tentar reduzir seu déficit municipal, superior a 100 milhões de euros (133 milhões de dólares). A cidade de Dortmund tem cerca de 600 mil habitantes e está localizada no Estado da Renânia do Norte-Vestfália.

Pela norma municipal, todas as profissionais do sexo registradas na cidade precisam agora pagar uma tarifa de seis euros por dia de trabalho, sob pena de multa. A prefeitura espera um rendimento de 750 mil euros por ano.

Uma proposta alternativa, de cobrar 1 ou 2 euros de ingresso para os frequentadores da zona de prostituição da cidade, não prosperou por falta de apoio político. A lei foi aprovada em 8 de agosto, mas só nesta semana entrou em vigor, quando foram expedidos os tickets que autorizam o trabalho diário.

Impostos como esses são comuns na Alemanha, onde a prostituição é legalizada e as prostitutas pagam imposto de renda. A cidade de Colônia adotou em 2004 um imposto de 150 euros mensais para as profissionais do sexo, e depois criou uma opção para o pagamento de seis euros por dia de trabalho para quem exerce essa "atividade paralela nas horas vagas".
(Fonte: Espaço Vital)

Nenhum comentário:

Postar um comentário