6.11.10

Monteiro Lobato racista? E os outros?

A nova versão TFP (Tradição, Família e Propriedade) dos usos e costumes brasileiros, na falta do que fazer, cismou agora de “fiscalizar” a literatura brasileira e “cassar” os livros que eles julgarem inconvenientes, proibidos, racistas e impatrióticos, assim como fizeram os nazistas na Alemanha de Hitler, queimando-os na pira da subcultura e da ignorância.
Monteiro Lobato está sendo a primeira vítima. Seu livro infantil Caçadas de Pedrinho está na mira desses pseudo-educadores e vem sendo taxado de racista, por algumas poucas frases em que a personagem Tia Nastácia seria vítima de preconceito.
Sugiro a estes pseudo-educadores da nova TFP que revejam toda a literatura brasileira, pois para não serem chamados de facciosos, juntamente com Monteiro Lobato deverão jogar na pira centenas de outros livros que contém frases tão ou mais preconceituosas. Vai dar trabalho! Veja alguns exemplos:

"Casar minha filha com filho de uma negra?! Você mesmo não se enxerga!"
(Aluísio de Azevedo, O mulato, pág. 179)

"A gente, para eles, um pouco mais que animais, eram uns negros à-toa."
(Lima Barreto, Histórias e sonhos, pág. 69)

"Legiões de homens negros como a noite, horrendos a dançar."
(Castro Alves, Obra completa)

"Algumas negras boçais"
(Inglês de Souza, O missionário, pág. 36)

"...não era melhor que tivesse nascido bruta e disforme. Como a mais vil das negras."

(Bernardo Gumarães, A escrava Isaura, pág. 30)

"E tinha de estirar-se ali, ao lado daquela preta fedorenta a cozinha e bodum de peixe!"

(Aluísio de Azevedo, O cortiço, pág. 80)

Nenhum comentário:

Postar um comentário