19.9.10

A turma do “não sabia de nada”

Esse pessoal do Partido dos Trabalhadores já está me preocupando além das medidas. Primeiro foi o presidente Lula que, a cada caso grave de corrupção, desvios de dinheiro, mensalões e irregularidades, afirmava não saber de nada, não era com ele, não viu, não notou, não contaram. Ele dirige o país do mesmo modo como eu dirigiria uma barcaça no Rio Negro, à noite, com tempestade, sem lua e sem iluminação.
Agora a querida candidata-terrorista do presidente está agindo no mesmo esquema. Apesar de ser amiga íntima da tal malandra Erenice, ter sido sua chefe e a responsável por colocá-la na Casa Civil, lá vem a mesma argumentação pra boi dormir: Dilma não sabia de nada, não contaram, não viu, não era com ela, não ouviu falar, não desconfiou, não notou o sórdido esquema de corrupção para facilitar interesses de empresa privadas na Casa Civil e nem da atuação de Israel Guerra, filho da amiga Erenice, cometendo delitos.
Pior: a petista alega que não teve conhecimento dos alertas que o consultor Rubnei Quícoli enviou ao e-mail da Casa Civil apontando a existência de um esquema de lobby operado no governo. "Não cheguei a tomar conhecimento", disse.

A mesma desculpa que já foi dada quando tentou - e ninguém acreditou - desmentir que recebeu em seu gabinete uma assessora, e apagaram registros de visitas, sumiram com fitas de vídeo e agendas, tudo para encobrir a mentira.
O Brasil está muito mal de comandantes na condução do leme. Stop! Parem tudo, que eu quero descer!

Nenhum comentário:

Postar um comentário