24.8.10

O marketing político de Serra

Meu amigo Peter me liga, numa hora meio inconveniente. Mas como sou educado, deixo que ele fale. Ele quer minha opinião profissional de publicitário sobre a campanha do Serra nestas eleições.
Na verdade me sinto um pouco desconfortável nessa análise, mas não terei papas na língua. Não tenho o rabo preso. Escreverei o que sinto.
Neste mesmo blog, eu publiquei um artigo em 31/10/2006, logo após a vitória do PT nas últimas eleições presidenciais (Eleições presidenciais: veja pelo lado positivo!)
http://bahr-baridades.blogspot.com/2006/10/eleies-presidenciais-veja-pelo-lado.html tentando fazer uma análise dos erros cometidos pelo PSDB naquela oportunidade.
Tudo leva a crer que nada mudou.
Os marqueteiros do Serra erraram o rumo novamente (seria proposital?). Primeiro, “mataram” a marca, a grife do candidato ao tentarem fazer a campanha em cima de “Zé” e não de Serra, nome que o Brasil inteiro já conhecia de outras campanhas. Perderam mil pontos.
Depois, por razões muito misteriosas, jamais chegaram a denunciar as trapalhadas (para falar o mínimo) dos petistas: mutretas, bandalheiras, desvios de verba, empreguismo, uso da máquina estatal, mensalão, cuecão, imposição da censura, infrações à lei eleitoral e coisas que tal. Até aqui não houve um centímetro de agressividade na campanha do PSDB – e eis que havia um prato cheio para isso. Aliás, um caminhão cheio de pratos.

Jânio Quadros chegou à presidência fazendo a campanha com sua “vassourinha”, limpando a corrupção. Collor foi eleito investindo contra os marajás e fez Lula perder a eleição em um debate bastante agressivo pela tevê.
Os debates parecem estar amarrados a uma formatação de águas plácidas, paradas, sem ventos. Ninguém se exalta, ninguém conta as verdades, Serra que é o principal interessado por ser da oposição, não está investindo contra nada e contra ninguém. Seu discurso é morno, relutante, apaziguador. Os seus marqueteiros estão entregando a eleição para Dilma em uma bandeja de prata.
Por outro lado, em algumas cidades, os candidatos do PSDB ao governo dos seus estados não estão sequer “colando” suas imagens à do candidato Serra. Aqui em Londrina, há um trágico exemplo: Beto Richa faz sua campanha como se nem conhecesse Serra. Quer dizer, ele está “vendendo” a sua imagem sem “vender” a imagem do candidato à presidência. Com os deputados do PSDB é a mesma coisa. Parece que os marqueteiros não ligam para isso.
Por fim, eles cismaram de tornar o Serra irmãozinho de Lula, juntando suas imagens. Se a idéia era usar a imagem de Lula como “escada”, deram-se mal. Para os eleitores de Serra esse “achado” representou uma enorme traição, uma fraqueza inadmissível para quem se diz oposição.
Então, fica a dúvida crucial: será que existe um arranjo misterioso entre PSDB e PT para que Dilma fature essa eleição? Qual é afinal a do PSDB? Será que a oposição, na verdade, nem é oposição e todas as esquerdas se uniram para cubanizar o Brasil?
Marqueteiros do Serra: a não ser que vocês ainda provem, através das pesquisas, que estão escondendo cartas na manga, que ainda vão dar o pulo do gato, que exista uma inteligência superior preparando a fervura no caldeirão... meus sentidos pêsames. Como profissional, acho que suas estratégias estão sendo um fracasso. E como cidadão fico absolutamente frustrado e desiludido.

Um comentário:

  1. Tenho lido, ouvido e matutado muito sobre este país, principalmente sobre as próximas eleições.
    Deixe-me dar minha opinião. Falarei como eleitora: o que falta é um partido realmente de oposição. O PSDB está fazendo cara de paisagem, o Serra está praticamente sozinho nesta campanha. Leio aí pelos blogs vários leitores, cada um deles denunciando a ausência do nome Serra nas campanhas de seus respectivos estados. E são vários estados, inclusive onde os candidatos a governador estão praticamente eleitos (São Paulo é exceção). Assim o Serra vai perder mesmo. Ora ele estava com mais de 50% quando do início da campanha, isto é, ele estava assim só pela vontade do povo, sem nenhuma campanha ainda. E o que está acontecendo? Ele vem despencando, e isto porque sua campanha - que nasceu autêntica - está sendo detonada, destruída de propósito, com dolo mesmo, sistematicamente, pelo PT - é claro, o PT está em seu papel - mas, e principalmente, por seus “aliados”. Quem precisa de aliados assim?
    E nós, eleitores, assistimos a essa derrocada planejada, pasmos, indignados, desnorteados. Sentimo-nos órfãos. Serra está quase que totalmente desatrelado das campanhas regionais. É um silêncio de túmulo, não se vê uma faixa, uma bandeira, um adesivo dele, sequer uma palavra que remeta ao fato de que ele é o candidato à presidência da república pelo partido de oposição a todo esse horror que se amontoa sobre o Brasil. Assim não dá. É preciso que se forme, então, outro partido de oposição -de verdade - a isso que aí está.
    Reforma política? Terá de acontecer, mas terá de vir do povo, de baixo para cima, e com um partido do bem, da verdade, da transparência, e que dê aos homens e mulheres de bem deste país a oportunidade de exercer seu sagrado direito de votar em paz e com honestidade. Do jeito que está, é pura perda de tempo e de energia. Um sofrimento intenso este nosso, o de nos sentirmos também abandonados.
    É isso aí. Só ficar falando mal do PT, sem realmente tomar atitudes que possam fazer a diferença, é puro masoquismo. E é isto o que está a acontecer. É muito masoquismo, é muito desvio de energia, é muito sofrimento!
    Já passou da hora de tudo isso ser denunciado. O futuro nos espera, saibamos agir. Estamos fazendo papel de tolos.

    ResponderExcluir