21.8.10

Filho guardou restos da mãe por nove anos em mochila





Autoridades japonesas estão procedendo a uma busca por pessoas com cem anos ou mais no país, depois que, no mês passado, os restos mumificados de um homem, tido como o mais velho de Tóquio, foram encontrados na casa de sua família. A morte do idoso, que se estivesse vivo teria 111 anos, foi escondida pelos familiares por 30 anos.
Agora, os restos de uma idosa do Japão, que as autoridades do país acreditavam estar viva, com 104 anos, foram encontrados por investigadores dentro de uma mochila do próprio filho. Ele disse à polícia que a morte ocorreu em 2001, mas que na época ele não tinha dinheiro para pagar pelo funeral. Decidiu então partir os ossos do cadáver e guardá-los na mochila, mas durante todos esses anos, continuou recebendo a aposentadoria da mãe, além de uma ajuda financeira especial dada pelo governo aos centenários.
Segundo as autoridades japonesas, no momento há quase 200 centenários cujo paradeiro é desconhecido. É grande a possibilidade de que famílias estejam explorando seus parentes mortos para obter benefícios financeiros do governo.
Estes novos fatos colocam em dúvida as estatísticas oficiais sobre a expectativa de vida do Japão, que superaria os 80 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário