9.8.10

Criatividade em mutretas

É incrível a criatividade do brasileiro para se apropriar do dinheiro público de forma indevida.
Ontem a Globo mostrou uma verdadeira fábrica de enganação: vereadores e prefeitos se inscrevem em cursos fajutos e usufruem de férias por vários dias em cidades turísticas, levando mulher, filhos, sogra, cachorro, nora, passarinho e sabe-se lá quem mais, com absolutamente tudo pago (hotel, alimentação, passagens e provavelmente até as compras) à custa do dinheiro público – o nosso dinheiro.
Do lado inverso, alguns espertinhos montam os tais “cursos” para estes vereadores e prefeitos, sob nomes pomposos, mas que na verdade não ensinam nada, recebendo verbas dos municípios, devolvendo uma parte – a comissão - para alguém ligado às prefeituras das cidades.
Os jornais nos dão conta de que um dos ministros do Supremo, que se encontra em licença-saúde desde abril por impossibilidade – segundo ele – de trabalhar, foi visto por jornalistas em lugares públicos se divertindo à grande, sem dar a mínima demonstração da tal doença que o aflige. Nós, povo, continuamos a pagar seu amplo salário.
Com frequência, a imprensa nos revela casos de desvios do INSS, principalmente por funcionários do instituto, que “inventam” nomes fictícios de aposentados e pensionistas, para ficarem com aqueles pagamentos – isto é, o nosso dinheiro.
Em uma escala muito maior, o nosso presidente, aquele chamado de “o cara”, anda presenteando Cuba, Venezuela, Haiti e países da África com perdões das suas dívidas, presentes e mimos, sob o rótulo de ajuda humanitária, mas que na verdade pode ser considerada como a “compra do cacife para seu futuro político”. O interessante é que nem eu, nem você, nem ninguém do povo brasileiro fomos consultados sobre nossa concordância com este imenso desvio de dinheiro público. São bilhões de reais!
Nos países sérios, estas mutretas trazem graves consequências. No Japão, os flagrados nos ilícitos costumam se suicidar, por vergonha. Na Europa, cumprem longas penas de prisão. Quando se trata de políticos, são forçados a renunciar. Em alguns países árabes, suas mãos são cortadas.
Aqui no Brasil nada acontece. As mutretas continuam. A impunidade é tão ampla, que até criminosos de outros países costumam se refugiar por aqui, incentivados pelos filmes americanos, nos quais os criminosos sempre escolhem o Brasil como rota de fuga.
Isso que é prestígio!

Nenhum comentário:

Postar um comentário