11.8.10

Bloqueando fronteiras por conta própria

Autoridades paraguaias investigam denúncias de que comerciantes brasileiros teriam levantado "barreiras" com blocos de concreto em diversos pontos da fronteira entre as cidades de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, e Juan Pedro Caballero, no Paraguai.
A razão seria o descontentamento dos comerciantes brasileiros com o número crescente de moradores de Ponta Porã que cruzam a fronteira com Juan Pedro Caballero em busca
"Existe, sim, uma insatisfação dos comerciantes brasileiros com o desrespeito à fronteira, que prejudica o comércio aqui em Ponta Porã por causa da valorização do real, que deixa os produtos brasileiros mais caros frente aos concorrentes paraguaios", disse o presidente da Associação Comercial de Ponta Porã. "Além disso, os paraguaios pagam bem menos impostos. Você imagina atravessar a rua e encontrar uma carga tributária de 10%, enquanto aqui pagamos 40%?", diz ele. "É uma concorrência desleal", completa.
O episódio das barreiras fez reacender o debate sobre a fiscalização da fronteira entre Brasil e Paraguai, que cobre uma extensão de aproximadamente 1.300 quilômetros.
E as outras fronteiras, em toda extensão do nosso território, onde o contrabando, drogas e armas e terroristas passam com tanta facilidade como se fossem vento?

Nenhum comentário:

Postar um comentário