28.7.10

Desviando o foco

A trágica morte de Rafael, filho da atriz e apresentadora Cissa Guimarães volta a expor uma ferida social herdada dos tempos do Império.
A imprensa, nestes últimos dias, só fala da corrupção dos dois policiais, que extorquiram dinheiro do pai e do irmão da vítima. Todos os detalhes e as gravações obtidas por câmeras são revelados e repetidos por todas as emissoras de tevê. Cada movimento dos corruptos foi dissecado com precisão cirúrgica.
Mas o que importa neste caso é o brutal crime do atropelamento. O motorista matador estava irregularmente com seu carro em um túnel interditado, acompanhado de um carona e de outro carro. Provavelmente estavam disputando um “racha” – ou os amassados do carro atropelador seriam resultado da batida com um boi?
Os envolvidos não pararam para socorrer a vítima. Além disso, estão envolvidos como corruptores, pois chegaram a pagar determinada quantia aos policiais.
O que é que estavam fazendo com seus veículos em um túnel interditado?
Qual a velocidade do veículo do atropelador?
Estavam mesmo disputando um “racha”?
Por que não pararam para socorrer a vítima?
A estes crimes chama-se homicídio, falta de socorro, fuga do local e corrupção ativa.
Mas, como desde os tempos do Império os mais abonados sempre se safaram das suas responsabilidades e jamais foram para a prisão, tudo indica que os crimes vão ficar por isso mesmo. Com exceção dos policiais, é claro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário