31.7.10

Coronelismos alagoanos e maranhenses

O Brasil não escapa mesmo das péssimas tradições herdadas dos tempos do Império.
O truculento, fracassado e incompetente senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello, das Alagoas, telefonou para o jornalista da revista IstoÉ, Hugo Marques, ameaçando-o de agressão quando o encontrar. O telefonema foi motivado por uma matéria publicada na IstoÉ, em que o jornalista relata um pedido de impugnação da candidatura de Collor.
Já no Maranhão (terra de quem mesmo?), a Procuradoria da República entrou com recurso para que o Tribunal Regional Eleitoral do Estado reveja os pedidos de cassação do candidato a deputado federal Sarney Filho, já que no último dia 27, o TRE julgou o registro e o considerou válido, ignorando o fato de que ele está enquadrado na lista dos Fichas Sujas, isto é, de que não poderia ser candidato.
Alagoas e Maranhão parecem mesmo ser terras de ninguém. São capitanias hereditárias dominadas pelos Sarney, Collor, Renan & Asseclas. Parece não haver justiça, procuradoria, polícia, tribunal eleitoral ou outra autoridade que consiga desmantelar esta estrutura venal e corrompida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário