16.6.10

Educação infantil em queda livre

Estudo da Fundação Carlos Chagas em parceria com o Ministério da Educação e o Banco Interamericano de Desenvolvimento analisou 43 aspectos da educação para crianças de zero a cinco anos e deu nota 3,4 numa escala de zero a dez.

Causa
Foram avaliados 43 aspectos divididos nas seguintes áreas: espaço e mobiliário (média 3,1); rotinas de cuidado pessoal (4,1); linguagem e raciocínio (3,7); atividades (2.3); interação (5,6); estrutura do programa (2,5) e pais e equipe das escolas (3,6). É a primeira vez que se tem acesso a tópicos aprofundados das condições do ensino infantil no País. A nota mais baixa (1,6) está dentro da área de atividades e avalia a disponibilidade de materiais para aulas de ciências, como coleções de objetos naturais e livros e jogos temáticos. A nota mais alta, 6,7, pertence ao quesito interação e analisa se as relações entre adultos e crianças são empáticas.

(Fonte: O Estado de São Paulo)

Efeito
Cenário no Colégio Estadual Thiago Terra, em Londrina, PR, na manhã de segunda-feira: dezenas de vidraças quebradas, enormes pedras de concreto espalhadas pelo chão, restos de uma fogueira feita em meio a rampa construída para cadeirantes e fezes humanas espalhadas pelos corredores. Há uma luta constante contra grupos que insistem em levar drogas e bebidas alcoólicas para dentro da escola. No mês de março uma bomba caseira explodiu dentro do banheiro masculino em pleno horário de aula. Além disso, já houve roubo de leite em pó e produtos da merenda escolar.

Nosso comentário:
Há alguma dúvida quanto às razões desse comportamento? Qual é a importância que o governo dedica atualmente à educação infantil? Onde ficou a excelência do ensino brasileiro de algumas décadas atrás?

Nenhum comentário:

Postar um comentário