16.2.10

São Paulo, na visão de uma turista

"Estive em São Paulo, Capital, entre 15 e 22 de janeiro de 2010. Fiquei encantada com o alto nível da administração pública paulista e paulistana. O que recebi foi cidadania em grau refinado. Fui tratada como cidadã de 1º Mundo. Senti orgulho de ser brasileira, de ser paulista e de pagar impostos. Senti o retorno do nosso dinheiro quando tomei o Metrô, quando visitei o Museu da Língua Portuguesa, o Museu do Futebol, a Sala São Paulo, o Museu do Ipiranga, o Ibirapuera, a Estação da Luz, o Jardim da Luz, a Pinacoteca do Estado... Tudo muito bem visível, limpo de cartazes e pichações. Os monumentos públicos, as estátuas, as esculturas... tudo polido, brilhante... as praças e jardins finalmente devolvidos à população, sob forma de verdes e muito bem aparados gramados. A cidade muito bem sinalizada, as placas legíveis, bem colocadas, facilitando a leitura, mesmo que do carro em movimento. A presença da polícia preventiva, os fiscais da prefeitura visitando bares e restaurantes para garantir a aplicação da lei antifumo, tudo sob o olhar aprovador do povo. Sim, eu vi, senti a aprovação do povo, sério, forte, trabalhador. Aquele povo sabe o governo que tem. Ah, sim, choveu todas as noites. Tive a sorte de não pegar nenhuma enchente, mas foi só sorte. Sabemos o quanto São Paulo tem sido castigada com o excesso de chuvas, sabemos que nossos irmãos mais pobres, das periferias, são os que mais sofrem. Mas sabemos que eles, ao escolher São Paulo para migrar e morar, fazem a ela a maior declaração de amor que se pode fazer, pois sabem que é ali que poderão encontrar uma melhoria para suas vidas e de suas famílias. De resto, essa é a tradição de São Paulo - a de acolher pessoas do mundo todo, do Brasil todo."
Maria A. Franzoni, Londrina, PR Foto: Jardim da Luz

Nenhum comentário:

Postar um comentário