6.11.09

Mais uma raposa no galinheiro



O novo senador Acir Gurgacz (PDT-RO) assumiu o mandato depois de substituir Expedito Júnior, que foi cassado pelo TSE no ano passado pela acusação de compra de votos. O problema é que o novo senador responde a mais de 200 processos na Justiça comum e Eleitoral.
Na Justiça Eleitoral de Rondônia, Acir responde a um processo por abuso de meio de comunicação. Ele é acusado de usar um jornal da sua família para promoção da sua candidatura nas eleições de 2006.
Contra a empresa de Gurgacz, Eucatur, também tramitam centenas de processos judiciais, mas o senador considerou natural uma vez que há cerca de 11 mil funcionários vinculados à empresa. "É normal que existam demandas judiciais. Num quadro de 11 mil funcionários, 200 processos são normais", afirmou.
E agora a ironia: o senador defendeu a aprovação do projeto que prevê "ficha limpa" para os parlamentares que assumem os mandatos no Congresso. "É uma questão importante para o país defender esse projeto. A população merece isso sou inteiramente a favor", afirmou.
Dá para concluir que lá no Senado você pode contar com os dedos os senadores que não têm envolvimentos com a justiça – eleitoral, cível ou criminal. È capaz de sobrarem dedos de uma só mão. (Foto Roberto Koppe)

Nenhum comentário:

Postar um comentário