17.9.09

Porque devo amar o meu Brasil

sarney: novas mentiras!
A Fundação sarney é suspeita de ter desviado dinheiro do governo do Maranhão (R$ 960 mil em 2004) e verbas de patrocínio da Petrobras (R$ 1,34 milhão de 2005 a 2008). Parte da verba, destinada à recuperação do acervo de livros e peças de museu, foi repassada a empresas que não explicam quais serviços prestaram ou que são ligadas à família sarney. Telefonemas e e-mails interceptados pela Polícia Federal apontam que, ao contrário do que afirmou em discurso em plenário no início de agosto, o presidente do Senado, sarney (PMDB-AP), participava de decisões administrativas da fundação que leva seu nome em São Luís (MA).
Os 'ficha-sujas' poderão surrupiar à vontade
A Câmara recuou na proposta da reforma eleitoral, aprovada pelo Senado, que impedia a candidatura de políticos "ficha suja". Os deputados retiraram do texto emenda do senador Pedro Simon (PMDB-RS) que previa "reputação ilibada" para os candidatos. Pela emenda, caberia a um juiz de primeira instância decidir se o candidato poderia ou não entrar na disputa, mas a regra não prevaleceu na Câmara.
Lavagem de dinheiro volta a ser aprovada
A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara aprovou nesta quarta-feira projeto que libera o funcionamento dos bingos e máquinas de caça-níqueis no país. Na opinião do relator, a legalização dos jogos "diminuiria significativamente a corrupção, principalmente na esfera policial, fortalecendo os órgãos incumbidos da segurança da população". A Força Sindical (leia-se o famigerado paulinho) também mobilizou militantes para defender os bingos com o argumento de que os jogos vão ampliar a oferta de empregos no país.
A culpa é da imprensa
Depois de afirmar com todas as letras que a compra de aviões estava acertada com a França, Lula desdisse tudo: que a indicação de que o governo brasileiro teria optado pela França foi uma interpretação equivocada pela imprensa. "Você só tem que ler a nota que nós distribuímos. Você vai perceber que a nota comunica que houve proposta do presidente Sarkozy para que houvesse avanço nas negociações e, por causa disso, nós decidimos recomeçar as negociações. É isso. Agora, como somos um país de muita liberdade de imprensa, e sobretudo de imaginação fértil das pessoas que fazem imprensa, cada um escreveu o que quis", disse.
O malandro renan novamente em ação
renan calheiros subiu à tribuna para tentar explicar a denúncia de que teria empregado em seu gabinete um servidor que, apesar de estar lotado na Casa, realizou um curso no exterior com o salário pago pela instituição, mas preferiu esquivar-se da acusação. Quando ele foi viajar, me procurou e eu disse a ele que procurasse o seu chefe imediato. Não tinha certeza onde ele era lotado. Não tenho nada a ver com essa questão", disse o peemedebista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário