17.9.09

O MST está bravinho com a "mídia burguesa"

Se você acha que este linguajar vem da época da Revolução Soviética, está certo. Os delinquentes do MST ainda não ouviram falar que o comunismo foi derrubado junto com o Muro de Berlim no século passado e insistem em suas posições absolutamente arcaicas.
Segundo a senadora e presidente da CNA (Confederação Nacional da Agricultura), Kátia Abreu (DEM-TO), há suspeitas de que ao menos R$ 60 milhões tenham sido desviados pelo MST de convênios feitos com o governo. A senadora disse que uma das primeiras investigações da CPMI será em cima do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) de São Paulo. A CPMI da Terra funcionou entre 2003 e 2005 e identificou, segundo a senadora, que R$ 18 milhões teriam sido desviados por três entidades ligadas a trabalhadores rurais: a Confederação das Cooperativas de Reforma Agrária do Brasil, Associação Nacional de Cooperação Agrícola e Instituto Técnico de Capacitação e Pesquisa da Reforma Agrária.
Aí vem o MST e afirma que “a força das mobilizações e o avanço das conquistas dos trabalhadores sem terra causaram uma forte reação do latifúndio, do agronegócio, da mídia burguesa e dos setores mais conservadores da sociedade brasileira contra os movimentos sociais do campo”.
Penso que a “mídia burguesa” deveria cobrar de volta tanto dinheiro desviado e colocar na cadeia cada larápio do MST que se apropriou daquelas verbas, junto com os governantes que as liberaram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário