1.9.09

A imprensa e os idosos

Estou pasmo.
Aqui em Londrina, qualquer cidadão ou cidadã acima de 60 anos perde todas as suas características individuais (profissão, titulação, honrarias ou reconhecimento público) quando se vê citado em algum tipo de noticia de jornal.
“Acidente envolvendo caminhão tira a vida de idoso”
“Idoso é atropelado em faixa de segurança de pedestres”
“Idosa de 67 anos é presa por tráfico e posse de arma”
Em resumo: idosos são colocados em um mesmo caldeirão de fervura rápida e deixam de ser advogados, arquitetos, comendadores, professores, publicitários, jornalistas ou até traficantes... e passam a ser simplesmente rotulados de ‘idosos’.
Pobres jornalistas. Pobres formações culturais. Pobre alcance mental.
Quem redige matérias com essa visão, certamente não leu livros. Nunca ouviram falar de Sartre, Nietzche, Freud, Oscar Wilde, Balzac e outros grandes mestres que conseguiram abordar o tema velhice sob os ângulos mais profundos e misteriosos da alma, do amor, do potencial humano e da capacidade de realizações daqueles que poderiam ser seus pais e avôs.
Pobres jornalistas. Todos fedelhos ‘novosos’ e desrespeitosos demais!

Um comentário: