23.9.09

Celso Amorim: apoio explícito ao antissemitismo


O conselho executivo da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) elegeu a diplomata de carreira da Bulgária Irina Bokova como futura diretora-geral da agência. Em votação apertada, Irina derrotou o polêmico ministro da Cultura egípcio, Faruk Hosni. Hosny era tido como favorito para a votação, porém foi acusado de antissemitismo depois de afirmar, no Parlamento egípcio, que queimaria livros em hebraico achados em instituições oficiais.

O ministro petista Celso Amorim, que já enfiou inúmeras vezes os pés pelas mãos quando o assunto é Israel, apoiou declaradamente a candidatura do egípcio. Celso Amorim disse ter amplos interesses nos países muçulmanos. Ele segue rigorosamente a cartilha do PT, cuja carta de apoio, escrita há poucos meses e assinada por Berzoini, o presidente do partido, já fixara total posição antissemita.

Resta a pergunta: o governador petista Jacques Wagner da Bahia, os ministros Carlos Minc e Tarso Genro, e o secretário nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego, Paul Singer, todos eles sabidamente judeus, também estão apoiando o colega antissemita Celso Amorim?

Um comentário:

  1. Só para apimentar:o ministro petista Celso Amorim já enfiou inúmeras vezes os pés pelas mãos em várias outras ocasiões-e não só quando o assunto é Israel-embora eu concorde que os enfia,e muito bem(os pés) também quando o assunto é Israel.

    ResponderExcluir