17.8.09

Estética no corpo da mulher

Ao olhar a ilustração abaixo, que pretende combater o triste problema da doença de nome anorexia, passa-me um sentimento de muita angústia, imaginando quais poderiam ser as distorções na mente da mulher que aparece na fotografia.
A estética já mereceu estudos de gregos, romanos, filósofos, poetas e artistas desde muito tempo - e na era contemporânea certamente faz parte integrante do nosso prazer visual do dia-a-dia. Preferimos o bonito em contrapartida ao feio, o limpo ao invés do sujo, as cores contra o negror, a claridade em oposição ao escuro, enfim, a meta é sempre a eterna busca da beleza.
Apesar de se culpar em parte a publicidade como matriz para o estabelecimento de padrões da beleza feminina, são as próprias mulheres que vêm criando seus próprios códigos, objetivos e padrões de beleza, através de cirurgias plásticas, lipoaspiração, artimanhas cosméticas, técnicas de vestuário e todas as infinidades de recursos que lhes são colocados à disposição.
Assim, só posso supor que a mulher da foto tenha uma visão absolutamente distorcida da realidade estética que a cerca, detonando seu próprio corpo, sua vida e sua alegria em busca de uma estética que não existe no mundo real e que ela não encontrará jamais.
Creio que o problema da anorexia deveria ser examinado muito mais de perto, com pais mais bem treinados para a detecção prematura do problema nas suas filhas e com a ciência buscando melhores e mais rápidas soluções psiquiátricas e clínicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário