12.6.09

Falta de memória em “atos secretos”

Parece que tem gente com problemas bem maiores do que o meu quando se trata de esquecimentos: o jornal Folha de São Paulo teve acesso a uma decisão assinada pelo ex-presidente do Senado Garibaldi Alves há mais de um ano, mas que só foi conhecida agora. A medida transforma em permanente cinco comissões especiais criadas, teoricamente, para realizar “serviços extraordinários”.

Garibaldi, porém, não se lembra do que assinou. "Não sei o que é isso. Preciso ver o que aconteceu", disse. Agaciel Maia também disse não se lembrar do ato que tornou as comissões permanentes no período em que esteve à frente da Diretoria Geral. "Com certeza foi a assessoria técnica do presidente. Eu não orientei nada."

Uma comissão interna, criada há 15 dias, examina os atos de 1995 até março deste ano. Uma coisa é certa: com ou sem falta de memória, nós, brasileiros, vamos novamente pagar a conta dos milhões desviados. Logo estaremos trabalhando mais de seis meses por ano apenas para cobrir os impostos e a farra parlamentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário