14.5.09

“Sabe com quem está falando?”


Um professor da Universidade Federal do Amazonas, coordenador do curso de comunicação social, foi agredido dentro da universidade pelo irmão do vice-governador, Omar Aziz. A razão: o professor deu aos seus alunos um exemplo de reportagem que recebe interferência política para não ser divulgada na imprensa local, como foi o caso da investigação da CPI da Prostituição Infantil, na qual Aziz foi citado e, depois, inocentado, em 2004.

Uma garota de 17 anos, Samara Abdel Aziz, sobrinha de Omar Aziz, aluna do 1º período de jornalismo, revoltada após ouvir a citação do nome do tio, saiu e voltou, vinte minutos depois, acompanhada do pai Mansur Aziz e do tio, Amin Aziz, irmãos do vice-governador.

O tio Amin partiu para a agressão.”Eu caí, tentei me defender, ele me deu uns socos e chutes e fez um gesto como se estivesse atirando com um revólver na minha direção", contou o professor agredido.

Agora, o pior: a sobrinha da “otoridade” chegou a escrever em sua página do Orkut, na internet, que "respeito é bom e mantém os dentes no lugar”. No dia seguinte a mensagem foi retirada da página.

Isso me lembra da loirinha cafona de Canapi, ex-primeira dama brasileira. Pois em Canapi a família dela, Malta, dominava a cidade através da violência. Dizia-se que lá “quem não é Malta, morre”.

O coronelismo ainda não terminou no Brasil!

Nenhum comentário:

Postar um comentário