12.4.09

Uma vez a porteira aberta...

...agora a promotora Déborah Kelly Affonso, do grupo de atuação especial de inclusão do Ministério Público, quer instituir cota para negros também em desfiles de moda. Segundo levantamentos feitos por ocasião dos desfiles da São Paulo Fashion, o percentual de modelos negros girou em torno de 3% em relação aos brancos.
A promotoria quer um acordo de inclusão social, estabelecendo um número mínimo de modelos negros a desfilar.
Segundo o último censo do IBGE (de 2007), temos 49,7 % da população composta por negros e pardos.
Já que a porteira foi aberta, que tal incluir percentuais obrigatórios de idosos e de feios nos desfiles de moda?

Ou então obrigar os empresários a abrirem cotas de empregos para imigrantes naturalizados brasileiros e outras cotas para imigrantes ilegais?
E que haja um percentual para asiáticos e outro para bolivianos?
Metade com estatura normal, metade de baixinhos?
Metade para alfabetizados, metade para analfabetos?
Parte deles destros e parte canhotos?
Parece que a infeliz idéia das cotas para negros em universidades está gerando filhotes e sub-ramificações.

Agora sim que eu quero ver!

Um comentário:

  1. Alcinéa Cavalcanteseg abr 13, 01:07:00 AM

    Será que vai ter cota também para comer ovo de páscoa?

    Feliz Páscoa, meu amigo.

    ResponderExcluir