28.2.09

Caso de amor

O jornal Bild, da Alemanha, traz na edição de hoje, 28/02, esta curiosa imagem.
Penso cá com meus botões: por que nós, humanos, não conseguimos conviver com os diferentes?
Por que não conseguimos esquecer diferenças de idiomas, de origens, de religiões, de países, de ideias?
Por que não conseguimos esquecer radicalismos?
Por que não conseguimos esquecer motivos de rixas antigas, já amareladas pelo tempo?
Por quê?

27.2.09

Londrina: ação entre amigos


Londrina vive atualmente um momento único: conta com um prefeito interino e a população aguarda o terceiro turno das eleições. Isso porque o prefeito eleito no segundo turno foi cassado pelo STE, visto estar com mais de 80 processos nas costas, por corrupção, desvios de verba e afins.
Assumiu o presidente da Câmara dos Vereadores, por três meses. Até que ele está fazendo uma gestão produtiva e não são poucos os londrinenses que acham que ele deve permanecer no cargo.
Hoje, entretanto, o Jornal de Londrina traz uma reportagem informando que o interino nomeou 151 pessoas em cargos comissionados que, com os encargos legais, custam cerca de R$900 mil por mês aos londrinenses.
Estranho. Por que a nomeação de tanta gente por um período tão curto? Não seria possível administrar com menos comissionados? Certamente todos serão demitidos pelo novo prefeito que vai assumir em março/abril, pois cargos comissionados geralmente são distribuídos aos amigos para engordar seus bolsos e retribuir favores.
Parece que toda admiração pelo trabalho do Padre Roque (ex-padre e atual vereador e prefeito interino) foi para o brejo.
Uma pena!

Fundos de Pensão, ONGs e outras minas de ouro



Antigamente, fundos de pensão eram a saída estratégica para alguém sair de lá sem pagar a conta. Os caloteiros sorrateiramente jogavam a mala pela janela, se esgueiravam pela janela e sumiam da pensão sem deixar pistas.
Hoje, Fundos de Pensão são impérios de sindicalistas que lidam com milhões de reais, sem a menor transparência, sem prestar contas a ninguém e muitas vezes financiando campanhas políticas, em prejuízo dos aposentados para os quais se destina o dinheiro.
Ou como explicar o enorme aporte de dinheiro de vários fundos no Banco Santos, em sua última semana de funcionamento, a taxas de juros irreais para o mercado, sem nenhum controle do Banco Central? Quem ficou com a dinheirama?
Agora ocorre uma guerra política, com o PMDB (o partido do "hay gobierno soy a favor") querendo destituir a diretoria do Fundo "Real Grandeza" de Furnas, pois lá está uma grana incalculável, de real grandeza, para mexerem, investirem em campanhas políticas e, quem sabe, tomar um ou outro Chivas Regal numa boate de luxo.
Por outro lado, apesar de já terem sido intimados, desmascarados e de conhecimento público, algumas ONGS fajutas continuam a receber verbas do governo e são apenas fachada para pilhagens disfarçadas. Anualmente entra uma bolada fornecida pelo governo, a ONG não cumpre sua função alegada e o dinheiro vai para as mãos de sabe se lá quem.
Agora falta descobrir os vários outros ralos por onde inventaram de sumir com NOSSO dinheiro. Que não são poucos.

Nós ralamos mas são os ralos levam a vantagem!

E o MST, gente?

Impossível acreditar: o tal Rainha parece um rei.
Bandido, delinquente, invasor de propriedades alheias, incitador à desordem e ao caos, envolvido em homicídios, processado, preso, solto... e vive recebendo abraços e bênçãos do Lula.
Do lado do governo, ninguém fala a respeito. Presidente, ministros, secretários, os responsáveis pela segurança pública... todo mundo mudo.
E isso porque o MST sempre foi um dos braços do PT. E como estamos falando de Lula, Tarso Genro, Dilma, Jobim e outras figuras radicais e/ou cooptadas, eles não querem acusar a si mesmos.
O Boris Casoy diria (e disse): “ É uma vergonha!”
O Diogo Mainar
di diria: “Não falei que o Lula é terrorista?”
O falecido Stanislau Ponte Preta diria: “O maior festival de besteiras do país!”
E eu complemento: “Não dá para acreditar!”
Esse aí é o PT, gente!

25.2.09

A bolha da economia no Brasil


Surgiu a primeira grande bolha econômica no Brasil: "os bancos brasileiros têm em conjunto um estoque de pelo menos 100 mil carros recuperados de clientes inadimplentes, o equivalente à metade das vendas mensais de veículos novos no país, para desovar no mercado de autos usados" (Folha São Paulo 25/02)).
Como estava previsto, o Lula errou redondamente quando afirmou que a crise passaria longe daqui.
Nosso presidente deu outra bola fora.

24.2.09

Carnaval pelo Mundo

Os fotógrafos da Reuters aproveitaram bem o Carnaval: tiraram belíssimas e interessantes fotos.
1 - Veneza, Itália - Foto Alessandro Bianchi
2 - Tom Maior, Brasil - Foto Paulo Whitaker
3 - Pérola Negra, Brasil - Foto Paulo Whitaker
4 - Império Serrano, Brasil - Foto Sérgio Moraes
5 - Colômbia - Foto John Vizcaino
6 - Nice, França - Foto Eric Guillard
7 - Vila Isabel, Brasil - Foto Sérgio Moraes


































































































(JEB)

23.2.09

Bahia, ontem, hoje e sempre

Carnaval, ontem, Salvador, Bahia.
Uma dúvida: esse é o Carnaval de 2009 ou é a continuação do Carnaval de 1972 sem pit-stops?

Foto Jornal Tribuna da Bahia, 23/02/09

22.2.09

Calor cá, nevasca lá

Essa foto é de Oslo, Noruega. Veja a quantidade de neve que caiu ontem.
Nós não podemos reclamar do clima no Brasil, pois manter-se aquecido com esse frio requer muito dinheiro em roupas, aquecimento, energia, além de alimentação reforçada para sobreviver.
Quanto o Lula gastaria em bolsas-família se o Brasil fosse assim?

Foto Jornal Aftenposten, Oslo, Noruega

20.2.09

Ambulância de emergência

Mulher com suspeita de cólera é transportada para o hospital em carrinho de pedreiro.
Não, não é no Brasil.
Essa foto é da Reuters/Philimon Bulawayo e o flagrante foi feito próximo à Policlínica Mabyuku, em Harare, África.
Brasil e África ainda têm muito em comum.

19.2.09

Assaltos "made in Brazil"


ASSALTANTE MINEIRO
Ô sô, prestenção . Levantus braço e fica ketin quié mió procê. Issé um assarto, uai. Esse trem na minha mão tá chein di bala… Mió passá logo us trocadu que eu num tô bão hoji. Vai andando, uai! Tá esperando o quê, sô?!


ASSALTANTE CARIOCA
Aí tio, perdeu, mermão. Seguiiiinnte, bicho . Tu te fu. Isso é um assalto. Passa grana e levanta os braço rapá… Não fica de caô que eu te passo o cerol… Vai andando e se olha pa trás, vira presunto.

ASSALTANTE PAULISTA
Vai maluko, Isso é um assalto, levanta os braços ai Zé. Passa a grana logo arrombado. Mais rápido meu, que eu ainda preciso pegar bilheteria aberta pra comprar o ingresso do jogo do Curintia, meu.

ASSALTANTE GAÚCHO
O gurí, fica atento… Báh, isso é um assalto. Levanta os braço e te aquieta, tchê! Não tentes nada e cuidado que esse facão corta uma barbaridade, tchê. Passa os pila prá cá ! E te manda à la cria, senão o quarenta e quatro fala.

ASSALTANTE DE BRASÍLIA
Querido povo brasileiro, estou aqui no horário nobre da TV, para dizer que, no final do mês, aumentaremos as seguintes tarifas: Energia, Água, Esgoto, Gás, Passagem de ônibus, Imposto de renda, Licenciamento de veículos, Seguro Obrigatório, Gasolina, Álcool, IPTU, IPVA, IPI, ICMS, PIS, COFINS…

(Charge de Nani)

17.2.09

Boquiaberto

"Minha dentista é uma das
poucas mulheres no mundo
que consegue me deixar
de boca aberta"
Pensamento de hoje, sentado na cadeira da dita cuja.

JV vê corrupção e irregularidades



Raras vezes concordo com afirmações e teses de políticos, que em geral caminham na contramão dos fatos.
Mas desta vez, sou obrigado a concordar com o senador pernambucano Jarbas Vasconcelos, do PMDB. As afirmações e acusações que ele lança contra o próprio partido são absolutamente exatas.
JV concorda com as mesmas teses que venho desfiando nesse blog: fala do retrocesso na eleição do bigodudo Sarney, da falta de escrúpulos e de ética do Renan Calheiros, das bandalheiras perpretadas pelo Jader Barbalho, do oportunismo na caça aos cargos do seu partido e fala, principalmente, da vasta corrupção reinante no governo Lula.
São afirmações que estão na imprensa para qualquer um ler.
O PMDB há muito tempo é o partido do oportunismo. Se lema é “hay gobierno, soy a favor”, qualquer que seja ele. Sempre em busca de cargos, poder, benesses e proveito próprio.
Agora seria o caso de os peemedebistas virem a público e se redimirem dos seus erros. Mas parece que não têm coragem para tanto e acreditam que ficando calados as acusações do JV vão ser rapidamente esquecidas.
Eles acham que a memória dos brasileiros é curta!
Como eu afirmei no início, os políticos caminham pela contramão dos fatos.

16.2.09

Castelo do deputado Edmar Moreira

Falando do castelinho do deputado, a questão é muito simples:

1 – É só verificar quando foi construído, se antes ou depois do homem ter sido eleito deputado;

2 – Se foi construído antes, basta verificar a contabilidade das empresas, para saber se havia caixa para a construção;

3 – Se havia caixa, se tudo foi declarado à Receita Federal à época, se o INSS da construção foi recolhido, a propriedade é lícita;

4 – Se não havia caixa, se não utilizaram capital de outros investidores, a propriedade está irregular e ilícita;

5 – Se foi construído após o homem ter sido eleito, a verificação deve ser feita da mesma forma;

6 – Se a propriedade foi repassada para os filhos, deve ser verificada a documentação no Registro de Imóveis local e quanto foi pago pela transferência.

O deputado pode ter praticado atos ilícitos, mas que o castelo é soberbo... é!

15.2.09

Voando alto

Nate Robinson, do New York Knicks, competindo no torneio Slam Dunk da NBA em Phoenix, Arizona, ontem, 14 de fevereiro.
Foto REUTERS/Lucy Nicholson (EUA)

12.2.09

10.2.09

Noções de física

"Sendo a velocidade da luz
superior à velocidade do som,
é perfeitamente normal
que algumas pessoas
pareçam brilhantes
até abrirem a boca."
(anônimo)

9.2.09

Reforma ortográfica. Para unificar o quê?

Há poucas semanas, estava eu relatando ao meu filho em visita a Londrina, sobre a beleza de uma moça nissei com quem cruzava diariamente ao caminhar no entorno do Lago Igapó II.

- Ela é um biju – terminei o relato, julgando que havia dito tudo.

- Biju, pai? Fazia muito tempo que eu não ouvia essa expressão. Deve ser muito antiga -, retorquiu meu filho.

Ultimamente tenho pensado bastante nisso. Como vai se transformando nossa língua luso-brasileira! Quantas palavras usadas na minha juventude já se foram para as calendas gregas! Aliás, nunca mais ouvi um jovem usar a palavra calendas. Como não os ouço falando, “bacana”, “almofadinha”, “dandi”, “esculachar”, “varapau”, “mutreta”, “mão leve”, “necas”, “dar uma de Miguel”, “beque central”, “panca”, “janota” e tantas outras gírias, palavras e expressões da época.

Lembro-me quando veio a reforma ortográfica dos anos setenta. Levou um bocado de tempo para assimilarmos as mudanças, vira e mexe éramos obrigados a consultar o dicionário.

Agora, inventaram mais uma reforma, pretendendo integrar o Brasil no seio dos países lusófonos – ou seria o contrário? Entendidos já afirmaram que esta é uma reforma inócua, que não serve para tal integração, pois a escrita e a fala continuam sendo bastante diferentes. Portugal, Angola, Cabo Verde, Timor Leste e os outros países que falam o português de Portugal vão continuar falando e escrevendo do mesmo jeito. Aqui, baianos, pernambucanos, cariocas, paulistas, paulistanos, paranaenses, gaúchos e brasileiros de outras regiões vão continuar a falar e escrever com as suas peculiaridades.

Os mesmos entendidos acreditam que tal mudança servirá apenas para enriquecer dicionaristas e editoras, que já estão imprimindo dia e noite os dicionários e livros escolares com a nova ortografia.

O pior mesmo sobrou para nós, os mais velhos. Esqueceram da gente, outra vez. Pois a esta altura, fica cada vez mais difícil assimilarmos as novas mudanças propostas. Principalmente porque ainda ouço alguns provectos senhores falando em contos e mil-réis. Para quem não sabe, essas eram a nossa moeda nos idos de... ah!, faz tanto tempo que já nem me lembro mais!


Texto apresentado em 8/02/09 na Academia de Letras, Ciências e Artes de Londrina

7.2.09

Será que estamos aprendendo com a crise?

O "encolhimento" dos bancos internacionais com a crise
Gráfico produzido por J. P. Morgan

É incrível como ativos até então tidos como sólidos foram para o espaço. Nem todos na mesma proporção, pois sempre houve bancos mais conservadores em suas operações, mais previdentes e por isto não tão lucrativos durante os tempos da "grande aventura".
Mas, de qualquer forma, é surpreendente que todo o sistema tenha-se deixado levar para esta catástrofe, que vozes (e houve diversas) previdentes não tenham sido ouvidas e que governos tenham permitido que esta desordem se instalasse no mundo.
Isto é terrível para o cidadão comum - para a maioria afinal - que se dedica ao trabalho e às suas muitas obrigações, entregando ao sistema financeiro suas parcas poupanças na forma de planos de aposentadoria, planos de saúde e outras formas de investimento para garantia do futuro.
Se esta confiança se quebra o efeito é terrível, pois as pessoas se verão diante da ausência total de alternativas, embora com a mesma necessidade de planejar seu futuro e de nele investir.
Por esta razão devemos, os mais sensatos e realistas, esperar por uma crise mais longa e por mudanças importantes no próprio conceito de riqueza e bem estar, pois não será mais possível - pelo menos por algum tempo até que tristes memórias se apaguem - viver-se de "produtos" virtuais, feitos de fumaça e de esperanças que se realizam para poucos à custa da frustração de muitos.
O mundo terá necessariamente que sofrer uma boa "freada de arrumação".
Que isto sirva também de lição para nossos governantes, estes da marolinha, do ufanismo irresponsável temperado por uma visão destorcida da economia e do real funcionamento das coisas. Afinal, estamos também tentando melhorar a vida de enormes contingentes humanos através de programas assistencialistas, de concessão de crédito e de outros benefícios que se traduzirão no futuro em obrigações a pagar por parte de gente que poderá não ter condições de pagar.
Pouco se vê em termos de investimento em educação, saúde, qualificação profissional, em infraestrutura de modo geral, única forma conhecida de habilitar as pessoas para a vida e de lhes dar condições de acesso ao crédito e à possibilidade de pagar as dívidas contraídas.
Políticas de ocupação do solo urbano também não existem, tampouco dedicadas ao planejamento demográfico, pelo que crescem as favelas, o banditismo, o crime organizado, o desemprego e o já enorme contingente de adolescentes grávidas, tristes matrizes de crianças sem pai.

Por Marcos Swensson Reis
Empresário - Senior Partner da MSR Consultoria
Rio de Janeiro, RJ

5.2.09

Dinheiro: onde o Brasil gasta?




O Brasil não tem verbas para vigiar as fronteiras.
O Brasil não tem verbas para atender a população doente.
O Brasil não tem verbas para pavimentar as estradas federais.
O Brasil não tem verbas para agilizar a justiça.
O Brasil não tem verbas para acabar com o desmatamento.
O Brasil não tem verbas para conservar seu patrimônio histórico.
O Brasil não tem verbas para atualizar as aposentadorias.
O Brasil não tem verbas para melhorar a educação básica.
O Brasil não tem verbas para acabar com os narcotraficantes.
O Brasil não tem verbas para acabar com a pirataria.

-o-

O Brasil está disposto a bancar a próxima Copa do Mundo.
O Brasil tem dinheiro para reconstruir dezenas de estádios.
O Brasil está gastando fortunas ciceroneando o pessoal da FIFA.
O Brasil está gastando fortunas para manter o exagerado número de mais de 500 deputados federais – estes, por sua vez, ganhando fortunas.
O Brasil está gastando fortunas nos divertidos encontros dos três hermanitos, Lula, Chávez e Morales.

Quer mais?

3.2.09

10 motivos para passar muito mal

- Não ver ninguém da turma do Mensalão preso
- Ter o Sarney como presidente do Senado
- Ver o Renan Calheiros rondando novamente o poder
- Saber que o Jader Barbalho está solto
- Ouvir o Marcos Valério declarar que é publicitário
- Ler a carta do PT sobre o apoio aos palestinos
- Engulir Lula, Chavez e Morales sempre juntos
- Alguém dizer que adora Cuba e Fidél
- Ouvir o Lula criando analogias ao futebol
- Ouvir o péssimo português falado pelos estudantes
- Calcular o volume de dinheiro desviado por corruptos
- Ver o estado calamitoso das estradas federais
- Por consequência, ouvir o noticiário sobre acidentes
- Esbarrar na rua hoje com o menor que praticou assalto ontem

O quê? Tem mais de 10?

Preciso sair correndo para o banheiro!

Renovação política

Quanta felicidade!
Finalmente, nosso Congresso conseguiu a tão apregoada renovação política pela qual nós todos, brasileiros, ansiávamos.
José Sarney, o bigodudo, acadêmico da ABL e que “jamais exerceu nenhum cargo político”, é o novo presidente do Senado.
Michel Temer, novo presidente da Câmara, também é uma figura “absolutamente nova na política”.
Se alguém imaginava que poderiam ocorrer mudanças políticas no Congresso, pode tirar o cavalinho da chuva. Se alguém estava esperando de pé, melhor sentar.
Não entendo. Como é que um cara escorraçado do Maranhão e da Paraíba, responsável direto pelo atraso da sua terra, possui tanto poder.
Não é possível que os tantos congressistas inteligentes, lúcidos, com QI ao menos razoável, se submetam a uma figura tão atrasada, retrógrada, partícipe da ditadura e envolvida na caça às bruxas de jornalistas e blogueiros no Nordeste e de todos que falam as verdades verdadeiras a seu respeito.
Quem me explica?

1.2.09

Proposta de Nova Ordem Mundial

Los hermanitos reunidos: Lugo, Morales, Lula, Correa e El Ridiculo Chávez, tratando de mudar a cor política da América do Sul