16.11.08

A cor do mapa-mundi está mudando

O Brasil foi “achado” pelos portugueses. De cor branca. Apesar disso e dos loiríssimos holandeses que também atracaram em nosso país, em quinhentos anos a população mudou de cor. A miscigenação com os índios aqui pré-existentes e com os negros capturados à força na África, fez com que hoje cerca de 50% (ou mais) da população sejam negra, parda ou mestiça.

Nos Estados Unidos, terras “achadas” por um italiano e exploradas por irlandeses e escoceses entre outros, ocorreu um processo similar. Índios pré-existentes naquelas terras e negros capturados na África, somados às cores pardas dos latino-americanos legais e ilegais que por lá residem, há muito tempo tornaram o país uma curiosa mistura de cores onde a loirice virou minoria. Portanto, nem deveria se constituir uma surpresa a recente eleição do negro Barack Obama para presidente.

Os asiáticos, genericamente rotulados de “raça amarela”, vão se multiplicando, se não geometricamente, com certeza em números bastante sugestivos. E o que dizer dos muçulmanos, que divididos em inúmeros grupos tribais e religiosos, compõem uma mistura de cores entre claro e escuro, beirando a indefinição?

A África, eterna e sofrida África, grande parte dividida em feudos ditatoriais, é negra desde sua origem. Lá, a miscigenação será, se não impossível, muito lenta, por causa das guerras, da miséria, da fome e das divisões tribais. Diz a bíblia que a África foi gerada através de uma das 12 tribos de Israel, a tribo de Dan (Daniel). Mas nem sempre as histórias bíblicas refletem a verdade histórica.

Assim, é bom que nossos estudantes saibam que a raça chamada de branca está se transformando em minoria. O mapa-mundi está mudando rapidamente de cor. Qual será a cor do mapa nos próximos 100 anos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário