31.7.08

Retratos do Brasil, 31 de julho de 2008

1 – Lula cria mais cargos comissionados e muito bem pagos
O governo aproveitou a medida provisória que transforma a Secretaria Especial da Pesca em ministério para criar 297 novos cargos comissionados e gratificações. Desses, 150 cargos são destinados ao novo ministério. Todo mundo quer uma boquinha.


2 - PF impede empresário ligado a Yeda Crusius de sacar R$ 200 mil
Acusado de ser um dos líderes do esquema que desviou R$ 44 milhões do Detran-RS (Departamento Estadual de Trânsito), Lair Ferst foi impedido pela Polícia Federal de sacar R$ 200 mil ontem em agências bancárias de Porto Alegre. Desvio pouco é bobagem!

3 - Filho de governadora indiciado por desvio de verbas
A Polícia Federal anunciou nesta quarta-feira o indiciamento do filho da governadora do Rio Grande do Norte, Wilma de Faria (PSB), e outras 12 pessoas suspeitas de integrarem uma suposta quadrilha envolvida em fraudes em licitações, desvio de verbas públicas e corrupção. O rapaz aprendeu bem e começou a agir cedo, para poder desviar muito, muito dinheiro.

4 - Prefeitos presos em operações da Polícia Federal disputam reeleição
Nem o fato de terem sido presos pela Polícia Federal fez com que ao menos 28 prefeitos desistissem de tentar a reeleição neste ano. Eles representam 60% dos prefeitos detidos em operações da Polícia Federal pelo país desde 2005. Só se espera que os eleitores não caiam na conversa fiada desses malandros e voltem a votar neles.

5 - PF faz operação contra fraude em fila para transplantes; médico é preso no Rio
Um médico suspeito de chefiar o grupo que vendia lugares na fila de transplantes de fígado no Rio foi preso na manhã desta quarta-feira na operação Fura-Fila da PF (Polícia Federal). Seu juramento de Hipócrates foi para as calendas e a ganância para ganhar R$250 mil por órgão vendido o fez esquecer que várias pessoas doentes registradas na fila, inclusive crianças, morreram por sua culpa. Sem volta.

_________________________
Por estas e por outras é que
o brasileiro ama tanto sua pátria,
seus políticos, os corruptos,
aproveitadores e desonestos
________________________


Foto dinheiro: Blog jornal "Estadão"

30.7.08

Liberdade ou censura nos Jogos Olímpicos?

"Repórteres sem fronteira" editaram este poster para protestar contra a censura à internet nos Jogos Olímpicos. Os jornalistas tirarão suas dúvidas nos próximos dias e irão constatar se a internet estará aberta e livre para todos, atletas e jornalistas, em Beijing.

28.7.08

Criativos em ação

Campanha genial da HBO Television em Nova Iorque usa táxis para promover o seriado "Família Soprano".
Para os cidadãos, é um forte impacto dar de cara com um braço pendente do porta-malas, insinuando que lá dentro um corpo esteja sendo transportado.


24.7.08

22.7.08

Muy amigo!

Este é o helicóptero Super Puma, presente do Hugo Chavez ao seu "companheiro" Evo Morales, da Bolívia. O helicóptero estranhamente caiu logo após transportar o presidente boliviano. Como já foi descartada a hipótese de atentado, a suposição é de que Chavez seja o amigo urso do Morales. Muy amigo!

Foto: jornal "El Universal", Caracas, Venezuela, 22/07

Os carteiros vão voltar!

Charge de Marco Jacobsen na Folha de Londrina, PR, em 22/07

20.7.08

Blue Angels

O show aéreo anual realizado neste sábado em Duluth, Minnesotta, exibiu mesmo sob chuva, seis jatos Hornet, pintados de azul brilhante, apelidados de "Blue Angels", perante 20.000 espectadores. A foto mostra um dos aviões despojados das suas bombas, construído unicamente para o manter o poderio bélico norte-americano.

Foto: Jornal "Duluth News Tribune", Duluth, Minnesotta, USA, 20/07

16.7.08

Greenhalgh: mocinho ou bandido?

O afastamento do delegado da Polícia Federal no caso Daniel Dantas lança uma desconfiança. Não teria sido uma extraordinária coincidência que esse afastamento tenha ocorrido logo após ser divulgada uma conversa telefônica do advogado Eduardo Greenhalgh, queixando-se do delegado em questão, com Gilberto de Carvalho, o chefe de gabinete do Lula?

Membro fundador do PT, Greenhalgh defendeu lideranças sindicais e políticas perseguidas pela ditadura, entre elas o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e participou da fundação do Comitê Brasileiro pela Anistia.

Foi vice de Luiza Erundina na Prefeitura de São Paulo (1989-1992), quando assumiu também a Secretaria de Negócios Extraordinários. Em novembro deixou o cargo em meio a denúncias que nunca se confirmaram, que o envolviam na cobrança de propina da empresa de construção Lubeca.

Veja o que escreve o jornal “O Estado de São Paulo:

A quadrilha supostamente montada pelo banqueiro Daniel Dantas tinha no advogado Luiz Eduardo Greenhalgh, ex-deputado federal do PT, um de seus principais braços para tentar barrar as investigações da Polícia Federal. "Greenhalgh fez contato com um órgão do Executivo", limitou-se a dizer o procurador da República Rodrigo de Grandis. Em um telefonema recente, o ex-deputado conversou com o chefe de gabinete da Presidência da República, Gilberto Carvalho, em busca de informações sobre a investigação sigilosa da PF.

Para o Ministério Público Federal, não há dúvida de que Greenhalgh era integrante da organização criminosa. Por isso, o procurador pediu à Justiça a decretação da prisão temporária de Greenhalgh, que foi negada.

Segundo o Ministério Público, foi apurado que Greenhalgh fez parte do esforço da organização para descobrir a natureza do procedimento da PF e quem era o delegado encarregado da investigação. "Ele participa dessa articulação para descobrir onde estava o procedimento e de todas as informações que, por força legal, são sigilosas. Era por meio dele que Daniel Dantas contava ter acesso dentro do governo", afirmou o procurador.Em outras palavras: dá para desconfiar que tenha sido Greenhalg o responsável pela exclusão do delegado no caso, pois suas palavras gravadas deram a entender que o delegado estava “atrapalhando” seu cliente.

Ai de nós se cairmos nas mãos desse tipo de gente. Basta um telefonema deles e... bau-bau! Somem com a gente. Para sempre.

Foto: "O Estado de São Paulo"

15.7.08

Na contramão do Brasil

Nós, brasileiros, estamos tentando caminhar para frente.

Pena que exista uma grande parcela da classe política caminhando pela contramão da história.

O senador Romero Jucá, por exemplo.

Ele acaba de brecar o texto substitutivo que havia sido aprovado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ), que tornaria inelegíveis os candidatos condenados em primeira ou única instância.

Sua alegação: os termos da proposta equiparam-se a "um linchamento individual".

O que, entretanto, Romero Jucá não divulga, são os inquéritos aos quais ele próprio está respondendo:

STF Inquérito Nº 2663/2007 - Captação ilícita de votos e corrupção eleitoral.

STF Inquérito Nº2116/2004 - Desvio de verbas públicas praticado por prefeito.

TSE Recurso Ordinário Nº1410/2007 - Ação de investigação judicial por abuso de poder político - compra de votos.

Agora, cá entre nós: como acreditar, confiar, votar, ou apoiar, compactuar e concordar com um político como esse?

Será que suas decisões não se chamam “direção perigosa”?

14.7.08

Novos ventos sopram na África

Esta foto representa uma novidade quase inimaginável na África: Elen Johnson Sirleaf, à esquerda, foi eleita presidente da Libéria e é a primeira e única mulher que atingiu tal posição até hoje na África. Aqui ela está sendo recebida pelo presidente Hifikepunye Pohamba, em Windhoek, Namíbia, em visita oficial de três dias.
Jornal "The Namibian", Windhoek, Namíbia, 14/07

Fotógrafo indiscreto

Foto publicada na capa do jornal "24 Horas Diárias", de Sofia, Bulgária, em 14/07. Se o fotógrafo buscava um ângulo diferente, conseguiu.

12.7.08

A contrario sensu

A tão apregoada Justiça com “J” maiúsculo durou pouco. A satisfação por vermos a lei cumprida (dura lex, sed lex) caminhou rapidamente em sentido contrário (a contrario sensu), pois mais uma vez e muito rapidamente o presidente do Supremo Tribunal Federal soltou o indiciado Daniel Dantas.

Reproduzo parte da matéria publicada hoje na Folha de São Paulo:

Mais de cem juízes protestam contra Gilmar Mendes

Aumenta a temperatura no Judiciário brasileiro: mais de uma centena de juízes assinaram, até agora, um manifesto contra o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. O manifesto é de apoio ao juiz federal Fausto Martin De Sanctis, que determinou a prisão preventiva do dono do banco Opportunity, Daniel Dantas, na tarde de ontem, contrariando decisão anterior de Mendes, que concedeu habeas corpus ao banqueiro.

Na tarde desta sexta-feira, Mendes atendeu pedido de liberdade para Dantas. O banqueiro foi preso pela primeira vez na terça-feira 8.

"Um juiz tem que ter independência funcional para tomar decisões sem receito de ser retaliado depois", diz o juiz Fernando Moreira Gonçalves, um dos que assinaram o protesto.

"O juiz Sanctis é conceituado, respeitado e tem que ter independência funcional para decidir com independência e sem receio."

Leia abaixo parte do manifes­to:

"Nós, juízes federais da Terceira Região abaixo assinados, vimos mostrar, por meio deste manifesto, indignação com a atitude de Sua Excelência o Ministro Gilmar Mendes, Presidente do Supremo Tribunal Federal, que determinou o encaminhamento de cópias da decisão juiz federal Fausto de Sanctis, atacada no Habeas Corpus n. 95.009/SP, para o Conselho Nacional de Justiça, ao Conselho da Justiça Federal e à Corregedoria Geral da Justiça Federal da Terceira Região...”

11.7.08

Isenção nos tribunais de contas. Isenção?

Algumas notícias nos passam meio despercebidas.

Leio no Jornal de Londrina que Maurício Requião, irmão do governador paranaense, tomará posse semana vindoura do cargo de Conselheiro no Tribunal de Contas do Estado.

A função dos tribunais de contas é analisar, conferir e julgar as aplicações de verbas dos municípios, estados e União.

Nós, brasileiros leigos, simples mortais, identificados muito mais pelos números dos CPFs do que pelos nossos nomes, pagadores de impostos, massa de endividados, fazemos de conta que não temos nada com isso.

Mas a verdade nua e crua é que NÓS SOMOS CO-RESPONSÁVEIS, sim, pelo que se passa lá em cima, nos palácios dourados dos prefeitos, governadores e presidente.

Não é possível que até hoje ninguém tenha alertado, denunciado, gritado, chiado, objetado e contestado esse sistema amoral, antiético e escarnecedor da sociedade.
A forma de escolha dos “juízes” dos tribunais de contas possibilita que os prefeitos, governadores e o presidente elejam os seus próprios fiscalizadores. Em outras palavras, são nomeações ditas “de pai para filho” (no caso paranaense, “de irmão para irmão”), cuja finalidade será a de jamais detectar quaisquer irregularidades nas aplicações orçamentárias e sempre, eternamente, aprovar as contas públicas, por mais irregulares que possam estar.

Alguém aí ainda tem dúvidas de que o Brasil jamais poderá se tornar um país sério?

Dura lex, sed lex

Seria muito atrevimento meu imaginar que o presidente do Supremo Tribunal tenha lido a matéria abaixo e por isso voltaram a trancafiar o Daniel.

Mas que foi feita justiça, ah!, isso foi.

Honra ao mérito do delegado que não aceitou a bagatela de um milhão de dólares.

Às vezes, só às vezes, a gente consegue acreditar um pouquinho no Brasil.
Foto: Folha de São Paulo

10.7.08

O poder de Daniel vem de longe!

Daniel 2:46
Então o rei Nabucodonosor
se ajoelhou diante de Daniel, e encostou o rosto no chão, e depois ordenou que fossem apresentados a Daniel
sacrifícios e incenso.

Daniel 2:48
Em seguida, o rei colocou Daniel como alta autoridade do reino e lhe deu também muitos presentes de valor. Ele pôs Daniel como governador da província da Babilônia
e o fez chefe de todos os sábios do país.

A Bíblia nos conta sobre o poder de Daniel e sua projeção na sociedade.

O nosso (tupiniquim) Daniel Dantas provavelmente terá se inspirado no seu homônimo e também foi buscar uma enorme projeção na sociedade, através da fortuna que conseguiu capitalizar.

Pena que os princípios éticos e morais não sejam os mesmos.

Só a história da tentativa de suborno a um delegado da Polícia Federal já bastaria para mostrar quem é o nosso Daniel. E segundo eu sei, tentativa de suborno dá cadeia. Em flagrante, então, é cadeia imediata.

Agora eu só queria entender por que o presidente do Supremo concedeu a liberdade a esse homem. Será que ele confundiu Daniel com Nabucodonosor?

Juiz contra juiz

(Da Folha de São Paulo on Line, 10/07)

Ao ordenar a soltura imediata da cúpula do banco Opportunity, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, desancou a decisão do juiz Fausto Martin de Sanctis de decretar a prisão temporária do banqueiro Daniel Dantas e associados.


De Sanctis é juiz da 6ª Vara Criminal Federal da Seção Judiciária de São Paulo, expert em crimes financeiros e lavagem de dinheiro. Cuida de casos paradigmáticos e rumorosos como o do banqueiro Edemar Cid Ferreira, o dos funcionários de bancos suíços acusados de remessa ilegal de divisas ao exterior e o do megatraficante colombiano Juan Carlos Ramírez Abadia.


Toda essa expertise, porém, não impediu que Gilmar Mendes atacasse duramente o mérito do decreto de prisão assinado por ele contra Dantas e associados. Para o presidente do Supremo, a decisão de De Sanctis seria infundada e fascistóide, que "em muito se assemelha à extinta prisão para averiguação, que grassava nos meios policiais na vigência da ordem constitucional pretérita".


Apesar do velho adágio jurídico de que o juiz só fala pelos autos, Mendes vem há muito deixando clara a sua feroz oposição ao que chamou de "espetacularização" das ações da Polícia Federal, já classificadas por ele como ''terrorismo lamentável'' e ''coisa de gângster''.


Ele faz coro a respeitados juristas e advogados que vêem como abusivas práticas da PF como o uso desnecessário de algemas, a exposição midiática dos detidos, o vazamento de informações sigilosas e a dificuldade de acesso aos processos.


Tarso Genro, ministro da Justiça, a quem a Polícia Federal está subordinada, defende as ações policiais: "O maior problema é que a operação pegou pessoas de destaque, que têm exacerbado sentido de defesa. A orientação que prevalece é que o uso de algema deve ser avaliado pelo agente, que deve fazer a prisão com segurança. A Polícia Federal não tem critério de classe: se achar que deve fazer a prisão com algema, que faça. Se for feita uma lei dizendo que pobre pode ser algemado, jogado no camburão e exposto à execração pública e rico não pode, a PF vai ter de cumprir, mas não comigo como ministro da Justiça".


O debate é relevante e necessário. Mais relevante e necessária ainda é a preservação dos direitos individuais diante de eventuais abusos e injustiças dos agentes de um Estado tão imperfeito.


É possível dizer duas coisas do Brasil: 1) a história do país é a história da impunidade dos poderosos; 2) nunca antes na história a PF agiu tanto contra políticos, empresários, juízes, doleiros.

Os dois fatos citados acima dão às ações policiais imenso apoio popular, embora popularidade não seja medida aceitável para se fazer justiça.


Já a corrupção e a lerdeza do Judiciário e o amplíssimo direito de defesa garantido pela Constituição são fortes estímulos à prática disseminada de delitos no país.
Entre a pressa imperfeita da PF e a lerdeza corruptora da Justiça quem fica preso mesmo é o Brasil, refém de uma casta impune de corruptos poderosos.

Por Sérgio Malbergier, editor do caderno Dinheiro da Folha de S. Paulo

9.7.08

Nossa vez de dar o troco



Você aí, que passou estes anos todos reclamando das bandalheiras, roubalheiras, falcatruas, desvios de dinheiro público, votação de leis contra o povo, elevação dos impostos, administrações ineficientes, políticos corruptos...

Chegou a nossa vez.

Está em nossas mãos escolher prefeitos e vereadores que não estejam metidos em quaisquer tipos de irregularidades. Vamos eleger ou reeleger aqueles que trabalharam corretamente, foram éticos, são estruturados na vida e, principalmente, que tenham vontade de trabalhar pelo país.

Antes de escolher nas listas de candidatos da sua cidade aqueles que você “julga” sejam os melhores, informe-se nas listagens que forem publicadas pelos tribunais eleitorais, ou pela imprensa, ou no site “Transparência Brasil” (*)
se os seus candidatos têm ficha limpa, não cometeram irregularidades e não tenham processos na justiça, mesmo ainda não julgados.

Tenha critério. Use o bom senso. Escolha os melhores. Por você, por sua família, por todos nós.

Você pode mudar a cara suja do nosso país!


Eu vou fazer a minha parte!

Foto: Agência Brasil

Mais 42 anos! O planeta Terra agüentará?

Reunidos, os países que formam o G8 (EUA, Japão, Reino Unido, França, Alemanha, Itália e Canadá, mais a convidada Rússia), "decidiram”, como se fossem os donos do mundo, que terão mais 42 anos para reduzir suas emissões de poluentes em 50%.

Desilusão geral. Menos para os países ditos ricos, é claro.

O resto do mundo não teve vez para votar. Ásia, África, América do Sul, América Central, Oriente Médio, regiões que reúnem os países e povos mais preocupados e ameaçados pela poluição causada pelos países ricos, não puderam fazer valer os seus direitos. E, pior: receberam ordens de como se comportar e agir.

Como o caso do Brasil. Fomos “intimados” a preservar, a qualquer custo, a nossa Amazônia, além de plantarmos menos cana de açúcar e mais alimentos. E que os pecuaristas não invadam as áreas de preservação.

Eu sou bastante pessimista a respeito: penso que a tal redução de 50% até o ano 2050 não será respeitada, pois isso não interessa economicamente aos países ricos. Eles só empurraram o problema com suas barrigas e estão ganhando tempo para um problema que já deveria estar sendo atacado de frente há muito tempo. E creio que nosso planeta sofrerá uma deterioração climática muito mais rápida do que prevêem os especialistas.

O planeta Terra não agüentará esse status quo até 2050. Pena que os dirigentes que votaram essa decisão não deverão, por suas idades, estar ainda entre nós, para sentir algum resquício de arrependimento tardio.

Foto de Kassandra Projects

5.7.08

Poluição ambiental

Cerca de 30.000 veículos abandonados estão empilhados em um depósito na cidade de Buenos Aires, Argentina. Faz oito anos que não existe mais o serviço de compactação e o depósito vai crescendo. Há, inclusive, denúncias de contaminação (do solo, por insetos, etc.). Agora a população exige que se faça uma licitação para que voltem os serviços de compactação.

Foto: jornal "Clarim", Buenos Aires, Argentina, 05/07

3.7.08

Motoserra em ação!

Esta foto poderia ter sido clicada no Mato Grosso, Amazonas ou Pará. Mas foi em Londrina, mesmo.
Hoje, logo cedo, o inconfundível barulho da motoserra já se fazia ouvir da minha janela, junto com os primeiros sons da manhã sem sol. Sons que por conseqüência não incluíam o chilrear dos pássaros.
E lá se foi mais uma área verde embora, para dar lugar a algum prédio, trocando a cor da natureza pelo concreto cinza.
Já não questiono se essa devastação foi ou não autorizada pelos órgãos responsáveis.
Mas fica no ar uma certa tristeza, ao ver a beleza da paisagem natural de Londrina perdendo espaço para o chamado "progresso" - o mesmo progresso que um dia levou um prefeito da maior cidade brasileira a declarar: "São Paulo precisa parar!"

Este artigo também foi publicado no blog http://visual-de-londrina.blogspot.com

1.7.08

Arte em dobraduras de papel. E que arte!


Exemplos do trabalho desenvolvido em dobraduras de papel, pelo artista dinamarquês Peter Callesen.
A primeira foto é um trabalho em papel A4.
A segunda foto mostra uma instalação em área de exposição e ocupa quase a sala inteira.
O artista já recebeu vários prêmios e participou de dezenas de exposições individuais e coletivas.

Disparando pelo museu

O artista Martin Creed propôs ao Tate Museum de Londres que, até o dia 16 de novembro, um atleta passe correndo à toda velocidade de 30 em 30 segundos pelas dependências onde está exposta a coleção de esculturas neoclássicas. Para essa inovação, a Tate contratou 50 atletas semiprofissionais que vão correr como se não houvesse o amanhã.
Essa é uma inovação do artista que certamente levará mais público curioso ao museu.

Foto: Jornal Público, Lisboa Portugal, 01/07