16.6.08

Cuspidas e escarradas

De repente, dei-me conta de que cuspir continua sendo um ato nojento praticado em várias partes do mundo e de que existem ainda cuspideiras à venda. Não são fáceis de encontrar, mas pela internet encontra-se de tudo.
Pois reproduzo aqui parte do texto de Laura, do blog “um T1 debaixo da ponte”, direto de Portugal:

“... mas a minha dúvida permanece: o que é que leva alguém a, em plena rua e perante os incautos transeuntes, sacar de uma bola de cuspo (quando não é algo mais consistente, mas disso já nem vou falar, sob o risco de começar a ficar, eu própria, com uma cor esverdeada...) e, alegremente, fazer pontaria em direcção à rua ou ao passeio? Qual é o grande segredo que reside por detrás deste gesto? Qual é a génese da cuspidela? Qual a motivação subjacente a este hábito de tantos portugueses e portuguesas?...”

A foto é do site “faltapapel.blogspot.com” português.
Está afixada na porta de algum departamento
de algum clube de futebol em algum
lugar de Portugal,sem maiores identificações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário