13.6.08

Bairro Vermelho, Amsterdam

Muita gente ouviu falar do Bairro Vermelho em Amsterdam, Holanda. O escritor João Antonio, já falecido, passeou pelas ruas de lá e escreveu um conto a respeito (“Amsterdam, Ai”), publicado no livro “Abraçado ao meu rancor”, Editora Guanabara, 1986.
O Bairro Vermelho é a zona de Amsterdam, onde a prostituição data dos dias em que a cidade se estabelecia como porto no século XIII. O bairro vermelho atual compõe-se de ruelas recorridas por chamativas sex-shops e sórdidos clubes. As prostitutas do Bairro Vermelho se exibem nas vitrines, por todo o bairro, que é uma das zonas mais velhas e mais pitorescas da capital. De dia é um bairro muito interessante com cafés e restaurantes às margens dos canais.
O atual prefeito está fechando um terço dos bordéis do Bairro Vermelho. O distrito angariou cerca de 25 milhões de euros em ofertas pela compra de muitos dos espaços da zona, para que fossem convertidos em lojas ou em moradias. As autoridades locais afirmam que desde que a prostituição foi legalizada nos Países Baixos, criou-se demasiado comércio sexual no centro da cidade. Além disso, havia lojas implicadas em casos de tráfico e exploração de mulheres e muitos acreditam que estas vitrines funcionam também para lavagem de dinheiro e outros crimes.


Foto do blog “Cinderela se rebela”

Um comentário:

  1. Sou a favor das boites e clubes noturnos desde que não sejam utilizados para crimes hediondos. O tráfico de mulheres e, pior ainda, de menores, o tráfico de drogas, e a conseqüente lavagem de dinheiro devem ser reprimidos com todo o rigor da lei. Se as leis atuais não forem suficientes, devem ser mudadas, e as polícias aparelhadas.

    ResponderExcluir