20.3.08

As polacas

Os paulistanos mais velhos já ouviram falar das “polacas”.

Esse apelido foi dado às prostitutas européias, a maioria delas judias polonesas, que emigraram do Velho Mundo a partir da segunda metade do Século XIX, principalmente para São Paulo. Na verdade, elas chegaram ao Brasil com a falsa promessa de melhorarem suas vidas através do casamento – mas como tantas outras histórias que ainda hoje se repetem, foram iludidas e obrigadas pelos seus “protetores” a cair na prostituição para sobreviverem.

Além das polonesas, chegaram também judias russas, austríacas e alemãs, mas todas foram igualmente chamadas de polacas. Parte delas dirigiu-se à Baixada Santista (SP).

Muitos de nós, paulistanos, ainda chegamos a travar conhecimento com as polacas nas décadas de 1950/60, então bem idosas, dirigindo boates na Boca do Luxo e cafetinando mulheres mais jovens. Eu mesmo conheci uma das polacas, já próxima dos 80 anos de idade naquela época, dirigindo a Boate Dakar, em São Paulo.

Como as polacas eram discriminadas devido à sua profissão, fundaram elas mesmas, em 1924, uma sociedade beneficente em São Paulo, possuindo sinagoga e cemitério próprios, este inaugurado em 1928 em uma área anexa ao cemitério Municipal de Santana – Chora Menino. O cemitério restou abandonado na década de 1970 e acabou sendo desapropriado pela prefeitura para a construção de uma avenida. Os restos mortais das polacas acabaram sendo transladados para outro cemitério judaico em São Paulo.

Também em um cemitério de Cubatão, SP, foram encontrados túmulos das polacas que viviam na baixada santista; elas eram enterradas à parte, por serem consideradas “impuras”. Esse cemitério de Cubatão foi recuperado e os túmulos restaurados.

A história das polacas é um pouco nebulosa, há correntes de pensamentos divergentes a respeito: alguns acreditam que a história deva vir a público e totalmente desvendada; outros acham que é melhor mantê-la nas trevas, sem alardes nem comentários.

Leia mais detalhes a respeito da história das polacas no blog
http://www.novomilenio.inf.br/cubatao/ch054d.htm