1.2.08

Eu quero esse cargo


Não deu outra: Matilde Ribeiro saiu da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Ela não teve ginga suficiente para saber que o cartão corporativo do governo pode ser usado sim, mas com “jeitinho”. Pois as despesas dela em 2007 somaram R$ 171 mil. Só com o aluguel de carros ela torrou R$ 110 mil e mais R$ 5.000 em restaurantes.
A outra bobeada: quando estava em férias. Matilde usou o cartão corporativo para pagar despesas de R$ 2.969,01
Oh, Matilde. Que pena, a festa acabou. Outro cara vai pegar o seu lugar.
Projeção positiva: o Lula vai me nomear para o cargo e eu só irei torrar a metade das despesas com o cartão corporativo, para ninguém reclamar.
Projeção negativa: não serei nomeado e o felizardo escolhido vai ser ainda mais malandro do que a ministra, gastando o dobro, sem deixar rastros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário