15.11.07

Almeida Lima: pronunciamento infeliz



Zapeando, ouço na TV Senado trecho do arrazoado de Almeida Lima, senador pelo PMDB – Sergipe, exercendo sua função de ferrenho defensor do cassado ex-presidente do Senado, Renan Calheiros.
Isto é, se o Renan ainda não foi cassado oficialmente, já o foi por mim e por enorme parcela da população brasileira.
Pois bem, o tal senador, entre outras baboseiras, pediu aos colegas da comissão julgadora do ex-presidente que tivessem pena do “coitado”, pois a cassação representaria o seu fim, que o estariam transformando em cadáver político e, pior, que a cassação só permitiria que ele voltasse ao cenário com 67 anos, portanto acabado, improdutivo e esquecido por seus eleitores.
Almeida Lima extrapolou, como já o fizera outras vezes. Quantos de nós, brasileiros, temos 67 anos ou mais, continuando ativos, produzindo, pagando impostos (inclusive a CPMF), ligados à política, empresas e instituições?
Basta citar alguns exemplos de gente produtiva, de várias épocas:

Antonio Ermírio de Morais, 78 anos, comandante do Império Votorantim;
Carlos Drummond de Andrade, escritor, escreveu até depois dos 80 anos;
Charles Chaplin, ativo até depois dos seus 80 anos;
Fidel Castro, está com 81 anos;
Jorge Amado, escreveu até seus 80 anos;
Michelângelo, artista insuperável, foi eleito o arquiteto oficial da Basílica de São Pedro no Vaticano aos 89 anos;
Oscar Nyemeier, ativo aos 100 anos;
Winston Churchill, fez política até os 90 anos.

Êta Almeida Lima! Sua defesa do Renan foi flagrantemente desrespeitosa com os maiores de 67 anos. Parece que o senador só enxerga até a distância do seu próprio umbigo. É lamentável que os sergipanos o tenham colocado em cenário de tal importância. Esperemos que na próxima eleição seus eleitores, muitos deles então sessentões, o removam definitivamente da senatoria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário