24.8.07

Debochando na nossa cara


Se eu fosse advogado, jamais teria estômago para defender acusados de ilícitos.
O Brasil inteiro acompanhou, por todos os meios de comunicação, o caso Mensalão, tomando conhecimento da enxurrada de acusações, provas e testemunhos da roubalheira de milhões e milhões de reais do dinheiro público (nosso dinheiro) por um enorme bando de (bandidos, quadrilheiros, ladrões, gangsteres, criminosos... qual seria a expressão exata?).
Pois veja a cara-de-pau de alguns dos advogados de defesa, nas alegações a favor dessa corja, desprezando toda a realidade que o Brasil inteiro conheceu:

Advogado de José Dirceu: “é uma peça de ficção”.
Advogado de Marcos Valério: “as provas foram anexadas de forma ilícita”.
Advogado de Luiz Gushiken: “se o Procurador-Geral fosse advogado, seria alvo de processo disciplinar”.
Advogado de Delúbio Soares: “o crime não está devidamente descrito na denúncia”.
Advogado de José Genoíno: “é um simples capricho do Procurador-Geral”.
Advogado de Sílvio Pereira: “a denúncia é vaga”.

Só existe uma única razão para que advogados de defesa procedam dessa maneira. Você sabe qual é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário