20.7.07

Gesto obsceno não é tudo



Afinal, quem é Marco Aurélio Garcia, o homem dos gestos obscenos que afrontou a dignidade das vítimas do acidente aéreo ocorrido com o avião da TAM?

Desde 1969 até 1973, Marco Aurélio Garcia era um ativista estrangeiro na política do Chile durante o governo de Salvador Allende.

Em 1980, fundou o Partido dos Trabalhadores (PT) com Lula da Silva. Desde sua fundação tem sido o conselheiro de assuntos internacionais.
Em 1990, a pedido de Castro, que desde então já havia incursionado militarmente em mais de 30 países, Marco Aurélio Garcia convocou uma reunião de todos os grupos de esquerda da América Latina e do Caribe.
Representantes de 48 diferentes partidos comunistas e grupos terroristas atenderam. Esta reunião converteu-se no chamado “Foro de São Paulo”. Marco Aurélio Garcia não só foi seu fundador, como ainda hoje, todavia, continua sendo seu líder, ao cabo de 12 anos.
Como líder do Foro de São Paulo, Garcia controla e coordena as atividades subversivas do Rio Grande do Sul até a Patagônia. Vários membros do Foro de São Paulo são terroristas. Alguns estão na relação dos “Mais Procurados” do FBI. Porém não há nada estranho nisto. O Foro de São Paulo, sob os auspícios de seu Secretário Executivo, Marco Aurélio Garcia, tem como sua meta o apoio aos grupos terroristas. (Dados 2003 MidiaSemMascara.org)

Por que os gestos obscenos?

“Temos que dar a impressão de que somos democratas. Inicialmente temos que aceitar certas coisas, porém isso não durará muito”, declarou Marco Aurélio Garcia, o marxista com influência por trás do presidente Luis Inácio Lula da Silva, recordando que Castro teve que fazer o mesmo, ou seja, dizer que era democrata e que não era comunista, para poder consolidar-se no poder até agora. ... no início do século, Lenin exclamava com voz patética: ‘Dê um partido aos revolucionários e nós devolveremos a Rússia’. E eles a devolveram, de fato, com a cabeça baixa, na maior desordem. Nada, a não ser a perda de um século inteiro, um século de atraso que separa a Rússia dos países civilizados. Dezenas de milhares de pessoas foram mortas... " (do texto de
Carlos I.S. Azambuja, em 30 de março de 2007)
Mesmo para um mau entendedor, meia explicação basta.
O assessor do presidente Lula, Marco Aurélio Garcia, mostrou não estar nem um pouco preocupado com as famílias das vítimas, com o acontecido às vítimas ou com qualquer sentimentalismo envolvendo os brasileiros.
O que ele quer mesmo é não fugir das linhas traçadas pela sua doentia linha de pensamento leninista, importando-lhe mais o Estado do que o indivíduo, mais a fingida atuação como democrata do que o bem-estar do nosso povo.
“A culpada é a TAM”, declarou. “Nós, o governo, não temos nada a ver com isso”.

Se o assessor chegar a ler este blog, com certeza irá disparar um outro arsenal mais pesado de gestos obscenos. Não para nossa apreciação na sua vida pública. Só na privada.
JEB
Foto Folha SP
Charge: Gemeente Utrecht


Nenhum comentário:

Postar um comentário