29.6.07

Senado: olha só quanta gente boa!

1 –Renan Calheiros envolvido em acusações

O senador e presidente do Congresso Nacional, Renan é acusado de receber dinheiro do lobista Cláudio Gontijo, da construtora Mendes Júnior, para pagar pensão e aluguel da jornalista Mônica Veloso, com quem o presidente do Senado tem uma filha. As provas que deveriam inocenta-lo, o inculpam cada dia mais. Ao invés de afastar-se da presidência, como seria eticamente de se supor, o senador agarra-se com unhas e dentes ao poder e cria uma tropa de choque para montar um Conselho de Ética apenas de aliados, que estão fazendo de tudo para inocentá-lo, de preferência sem julgamento.

2 - Senador Quintanilha responde a inquérito no STF


Eleito novo presidente do Conselho de Ética no Senado, Leomar Quintanilha (PMDB-TO), da tropa de choque do Renan, não poderia ser sequer membro do Conselho: ele responde a inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), após ter sido indiciado pela Polícia Federal (PF) em um processo de 2002 que investiga desvio de dinheiro público e é investigado pelo Ministério Público (MP) por sonegação fiscal.

3 - Joaquim Roriz novamente acusado

Desviando o foco das atenções do triste episódio de Renan e seus comparsas, o senador Joaquim Roriz está sendo acusado de ter participado de uma negociação para partilha de dinheiro com Tarcísio Franklin de Moura, ex-presidente do BRB (Banco de Brasília). Ele negou as denúncias, discursou para uns poucos ouvintes e encenou sua choradeira, além de apelar à sua religiosidade. Negou os fatos, como fazem todos os indiciados, sejam deputados ou senadores.

Somente o PSOL (justo o PSOL!!!), com o apoio do Gabeira (PV), está se mobilizando, demonstrando publicamente seu protesto. Vamos torcer para que a Corregedoria do Senado (leia-se Romeu Tuma) aja de fato e com rigor, para tirar de cena estes pilantras, digo, estes senadores, que tão maus exemplos vêm proporcionando aos seus próprios filhos, às suas famílias e à população do país.

Congresso Nacional: o 3o. mais caro do mundo!

Deu no site “Transparência Brasil”:

“Em 2007, o Brasil destinou para a manutenção do mandato de cada um de seus 594 parlamentares federais quase quatro vezes a média do gasto dos parlamentos europeus e do canadense. Pelos padrões europeus de gasto parlamentar, o orçamento do Congresso brasileiro - equivalente a R$ 11.545,04 por minuto - poderia manter o mandato de 2.556 integrantes.


Se for levado em conta o custo absoluto do Congresso brasileiro por habitante (R$ 32,49), ele seria o terceiro mais caro do mundo, atrás do italiano (R$ 64,46) e do francês (R$ 34,00). O Brasil fica mais caro, porém, se for calculado o peso desse custo no bolso de cada habitante por duas medidas importantes para comparar economias nacionais - o salário mínimo e o PIB per capita. No Brasil, gasta-se dez vezes, em relação ao salário mínimo, o que se gasta na Alemanha ou no Reino Unido. Comparado ao PIB per capita, o gasto nacional é mais de oito vezes maior que o espanhol.

O mandato de cada parlamentar brasileiro custa hoje 2.068 salários mínimos - mais que o dobro do que ocorre no México, segundo colocado entre os países pesquisados, e 37 vezes o gasto proporcional ao salário mínimo registrado na Espanha.”


E você, tem pago seus impostos federais direitinho todo mês para sustentar essas mordomias imorais?


27.6.07

Corrupção, vista por Stanislaw Ponte Preta

“No Brasil as coisas acontecem,
mas depois,
com um simples desmentido,
deixam de acontecer.”

Políticos ou Quadrilheiros?

Deu na Folha On Line, 26/06/07:


“A ameaça de Sibá em colocar o relatório para votação irritou os aliados de Renan que, nos bastidores, admitiram não ter número de votos suficientes para enterrar o processo contra o senador. Na prática, o grupo pró-Renan temia a aprovação de um voto em separado apresentado pela oposição que determinava a ampliação do foco das investigações sobre o senador.
Diante de tamanha pressão dos aliados, o presidente do conselho acabou tendo na renúncia uma saída para evitar um desfecho que não desagradasse os aliados de Renan.”

A pergunta fica no ar: nota fria não dá cadeia?


Lembranças associadas ao evento:
Notas frias - Lucros exagerados na venda de bois - Empreiteira pagando despesas do senador - Revelações aéticas sobre amante - Tropa de choque para encobrir irregularidades - Frases de efeito para iludir povo - Apego suspeito ao poder - Provas forjadas

23.6.07

Fernando e Rosemary

Tornara-se um hábito.
Toda manhã, Fernando aguardava impaciente, com os sentidos aguçados, pela movimentação na casa em frente. Assim que as dobradiças da porta rangiam, um ruído longínquo que os seus ouvidos já treinados sempre escutavam, pulava da cama e corria para a janela. Sorrateiramente, entreabria as cortinas e com a ajuda de um velho binóculo Zeiss acompanhava cada passo da sua linda vizinha.
Estonteante, linda, maravilhosa. Uma morena com todos os seus atributos nos lugares exatos. Seu rosto era o de uma atriz hollywoodiana, nem mesmo nestas primeiras horas do dia era necessária qualquer produção.
Fernando conhecia a rotina da moça. Com movimentos felinos, nos quais imperava uma sensualidade inigualável, ela caminhava pelo jardim com passadas curtas, rebolando até o portão de entrada, onde apanhava o pão e o leite entregues na madrugada. Seu robe provocante, semitransparente, deixava entrever as formas do seu corpo escultural.
O retorno do portão para casa, então, era um verdadeiro espetáculo, a deusa deixava Fernando...
Se você gostou deste texto,
o conto completo está no livro
“Encontro na barca e outras histórias de bahr”,
à venda em Londrina na Livrarias Porto
(Shopping Catuai) ou pelos sites
www.livrariasporto.com.br
www.vencer.com.br link “Livraria”

21.6.07

O cerco está se fechando

Você compraria um
carro usado
do Renan Calheiros?

O casamento perfeito (6)

Eu perguntei a ele:
“Quem disse que você poderia
farrear com minha mulher?”
Ele respondeu: “Todo mundo”.

Rodney Dangerfield – Comediante e ator norte-americano

19.6.07

Estão chegando mais amigos do rei

Reprodução de foto cedida à UOL, de convenção do PT,
apenas ilustrativa da matéria

Um só dia depois de conceder reajustes de 30,57% a 139,75% aos companheiros do PT em cargos de confiança, o Rei Lula cria mais 626 cargos, que agora vão abrigar 22.189 “camisas vermelhas”.
Esta benesse vai nos custar, só neste ano, R$277 milhões. Em 2008 a despesa chegará a R$475,6 milhões.
Enquanto isso... continuam os problemas de filas em hospitais, faltam medicamentos gratuitos à população, favelas vão crescendo geometricamente, as escolas praticamente deixaram de ensinar, balas perdidas matam adultos e crianças quase que diariamente, e os pobres aposentados receberam uma mísera correção de 3,3%, isto é, menos de 136% do que a generosidade concedida ao pessoal dos cargos de confiança.
O que mais se estranha é o total silêncio da sociedade civil, dos pagadores de impostos, das associações de classe e de todos aqueles que sabem reconhecer injustiças, protecionismo, corporativismo e oportunismo.


Notas frias pela internet

Acredite se quiser: se a sua empresa está à procura de Notas Frias, basta consultar o Google.
Quem sabe foi por aí que o Renan Calheiros conseguiu as dele para justificar ganhos de dinheiro.
Que mancada do Mercado Livre!

Veja o que está anunciado:

Nota fria - Ótimos Preçoswww.MercadoLivre.com Encontre Nota Fria com ótimos preços em até 6X no MercadoLivre.

18.6.07

Nota fria dá cadeia?

Depoimento de advogado de jornalista
complica situação de Renan, diz oposição
(da Folha On Line).

Você compraria um
carro usado
do Renan Calheiros?

Ausência


Título e foto de Avi Ornstein

16.6.07

Democracia demais, virtudes de menos








Cafeteira, a sentença
declarada antes do julgamento





Inacreditável.
O Cafeteira (Epitácio, senador, não confundir) nem deixou o cafezinho esquentar: aproveitando-se da nossa democracia (excessiva segundo alguns), na qualidade de relator do caso Renan (Calheiras, senador, presidente do Congresso, não confundir), nem deu tempo para que a sua comissão
(parlamentar, não confundir) ouvisse vários outros envolvidos e testemunhas.
No prazo recorde de dois dias, “fechou” sua sentença e proclamou o resultado: inocente!
Se tivesse esperado o cafezinho esquentar, não seria surpreendido por novas denúncias levantadas pelo pessoal do Jornal Nacional.
Concluímos que:
- Nas CPIs, colocam-se sempre amigos dos acusados na relatoria e na presidência, o que vira uma ação entre amigos – literalmente.
- Relatores de CPIs (que na verdade se equiparam a juizes) são muito democratas mas só raros têm virtudes de ética, moral e qualidades para se tornarem juizes.
- Senadores e deputados, que vivem cobrindo seus caixas com notas frias, nunca são autuados pela Receita Federal ou pelo Banco Central, que só controlam a coitada da, cada vez mais escassa, classe média.
- As CPMF, COAF, e outras siglas pouco glamorosas que foram criadas para acusar a movimentação de grandes somas de dinheiro, apontando principalmente a lavagem de dinheiro, não valem para senadores e deputados.
- Membros do nosso parlamento podem mentir e agir com desonestidade, permanecendo absolutamente impunes.
- Bois no pasto nunca têm contagem certa. São dinheiro em caixa, sem nota fiscal, sem recibo, sem controle, sem origem, sem destino. Servem tanto para apontar lucro, como também prejuízo.

Agora o Cafeteira terá de tomar o seu café requentado, sem açúcar e bem amargo.
Se o Brasil fosse sério, o Renan teria de tomar do mesmo café. Na cadeia.



Renan, tentando justificar o injustificável









15.6.07

Cotia continua a mesma...


Passei por Cotia nos feriados de Corpus Christi. A cidade onde residi por uns 12 anos continua a mesma, indo de mal a pior.
A única melhoria foi em relação à Rodovia Raposo Tavares, que agora passa por cima do centro de Cotia, numa espécie de Minhocão paulistano. Assim, quem vai ou volta do interior, ganha tempo e não se aborrece mais com os semáforos, obstáculos, paradas de ônibus, pedestres atravessando a rodovia de um lado para outro, carros estacionados, etc.
Entretanto, a poluição visual na cidade e no seu entorno está cada vez pior, horrorosa, amadorística, lastimável.
Pelos lados que percorri, várias ruas permanecem sem calçadas para a circulação de pedestres, outras tantas são ainda de terra, há muita sujeira, o trânsito está caótico, as vans de lotação abusam da velocidade, transportando – como sempre - passageiros além do limite. Não vi sinal de fiscalização.
Em várias áreas laterais à estrada, é visível o desmatamento para a implantação de condomínios ou construção de galpões. Parece não haver (ou ser respeitado) qualquer gabarito, além de se avistarem aqui e ali recuos ou avanços desordenados das construções, muitas delas subabitações. Subabitações e favelas que se destacam nos morros e em muitas quebradas ao longo da rodovia.
Talvez seja por isso que o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de Cotia seja de 0,826, bem distante de São Caetano (0,919) e até de Santos(0,871), cidade portuária, muito maior do que Cotia.
Dentre tanta poluição visual, não consegui detectar informação sobre qualquer programa cultural para a população. Provavelmente, Cotia continua sem cinema, sem teatro (com exceção da Granja Viana) e sem Secretaria da Cultura. Grande parte da população não conhece peças de teatro, apresentações de orquestras, balé, oficinas de arte e de literatura, jazz, música clássica e tudo aquilo que concerne à cultura de uma cidade do Século XXI – apesar de estar a menos de 30 km de São Paulo, um centro cultural por excelência.
Faltam idéias, falta vontade, falta inteligência, faltam realizações, faltam objetivos.
Em suma, entra prefeito, sai prefeito... Cotia continua muito feia. E bota feia nisso.

O casamento perfeito (5)

“Se um homem leva sua esposa embora,
não há maneira melhor de se vingar
do que deixá-la ficar com ele”
Sacha Guitry

14.6.07

E a Marta gozou..........

Muitos meses transcorridos, finalmente a plastificada sexóloga e ministra Marta conseguiu gozar.
Ela andava muito irrequieta, nervosa, sensível e aflita após perder a eleição, quando passou, embora a contragosto, a fazer parte do time dos “sem cargo”.
Ontem, já ministra e bem relaxada, ela gozou... a todos nós brasileiros.
Nada como um cargo, não é, ministra?
Faça como a ministra recomendou. Relaxe e goze. Qualquer que seja a fila. Dos aeroportos, dos bancos, dos passaportes, do INSS, dos hospitais, dos empregos...
Afinal ela é sexóloga e sabe das coisas.

12.6.07

São Paulo sem outdoors

Vou ser xingado pelos meus colegas publicitários de São Paulo. Estive circulando pela cidade nestes feriados e devo confessar: a cidade ficou muito mais bonita sem aquela penca de outdoors, cartazes, banners, faixas, placas, cavaletes nas portas de restaurantes, posters, letreiros nas paredes e toda classe surrealista de “idéias” de poluição visual, cujo conjunto só desafinava, pois se tornara praticamente impossível identificar ou memorizar qualquer mensagem no meio daquela mistura de informações.
Agora os proprietários do comércio serão obrigados a restaurar e pintar suas fachadas, algumas deterioradas pelo tempo e outras que há anos escondiam falhas, rachaduras, trincas e ameaças nas construções, só agora reveladas.
O verde ganhou destaque na paisagem urbana. Colabora também a limpeza das ruas e avenidas, que parece ser prioridade na atual administração.

O lado negativo da história é o aumento das pichações. Tornou-se moda pichar as portas das garagens das residências com aqueles dizeres e sinais caóticos e indecifráveis. Além disso, parece haver uma disputa entre os pichadores para ver quem picha mais prédios, cujos dois ou três primeiros andares estão sendo cada vez mais emporcalhados. Os vândalos disputam também a façanha de sujar os andares mais altos.
Aos colegas publicitários cabe agora cair na realidade: o todo é muito mais importante do que a parte. Vamos tratar de bolar comunicações bonitas e eficientes respeitando as normas e dimensões estabelecidas pela Prefeitura.
Para quem gosta
de desafios é um prato cheio.
Quem se interessar, que dê um pulinho em Copenhagen, Dinamarca. Lá, a comunicação visual é bolada por especialistas que se
guem rigidamente as normas e produzem peças belas e eficientes. Valorizam mais as vitrines, os produtos das lojas, a iluminação – e tudo se complementa com a comunicação visual.
E as lojas vendem muito bem, obrigado.


JEB
P.S.: Meus amigos paulistanos que me perdoem: não houve tempo hábil para visitá-los. Na próxima, nos veremos com certeza!

5.6.07

Danças do Passado

Os sons chegam de longe. Ouço um foxtrote, tocado por alguma orquestra norte-americana. Despertando lembranças, formando imagens.
Lembranças de Zora, ruivinha, uma boneca, nome europeu, dizia que era filha de italianos, eu duvidava, estava mais para húngara, romena, polonesa. Balneário Hotel, Santos, fim da década de 50, lá na esquina da praia, um ambiente acolhedor, aos sábados tocavam música ao vivo. Tomamos drinques. Nosso primeiro encontro. Dançamos a noite inteira, apertadinhos, beijinhos, roçar da boca na orelha, tudo muito sutil, o tesão crescendo. Madrugada, levei-a para casa, fui embora pisando forte, animado, aceso, sonhando com Zora na pista de danças, com Zora na cama. Nunca mais a encontrei, recebo um dia um cartão postal da Itália, curto, seco: “Adeus. Saudades. Amor. Zora”. Os pais não queriam vê-la namorando, mandaram-na para longe, foi morar com parentes.
Avenida, famoso táxi-danças de São Paulo. Danço com Mara, morena, linda, suave, terna. Dominamos o salão. A cada sábado a mesma ........

Se você gostou deste texto, o conto completo está no livro “Encontro na barca e outras histórias de bahr”, à venda em Londrina na Livrarias Porto (Shopping Catuai) ou pelos sites

www.livrariascuritiba.com.br
www.vencer.com.br link “Livraria”

4.6.07

O amor é cego

Título e foto de Avi Ornstein

3.6.07

"Chupadas" de matérias

Na publicidade, usamos a expressão “chupada” quando alguém copia alguma criação de outro alguém. Tipo: “Olha que chupada de anúncio!” ou “Olha que chupada de texto”. E por aí vai. O que eu não sabia é que existem chupadas de matérias publicadas em blogs. Pois a matéria “Sarney, falso ou verdadeiro” que escrevi e publiquei neste blog no dia 29 de maio foi inteiramente chupada pelo “Jornal Pequeno, o Órgão das Multidões”, de São Luiz do Maranhão, sem pôr ou tirar uma única vírgula, no dia 31 de maio, tanto no jornal impresso como no site, como se fosse escrita pelos jornalistas de lá, faltando dar os devidos créditos ao autor. Comprove essa chupada no site
http://www.jornalpequeno.com.br/2007/5/31/Pagina57168.htm

Ainda há gente que nada cria, só copia.
Ou talvez seja por isso que o jornal se chame "Pequeno"


JEB

Sarney, por quem entende do assunto

Se você não conhece a fundo quem é o verdadeiro Sarney (um dos "donos" do Maranhão, mas que se elegeu pelo Amapá - vá entender!), entre no blog da jornalista Alcinea Cavalcante:
http://alcinea-cavalcante.blogspot.com/
Você vai conhecer o lado oculto dessa figura e entender por que foi criado o símbolo "Xô, Sarney!"

2.6.07

O ato de escrever (12)

“O maior defeito dos livros novos
é impedir a leitura dos antigos.”
(Joseph Joubert, escritor francês)