21.5.07

O Maranhão e seus dirigentes

Já que falamos tanto dos deputados federais, vamos começar a pensar nos nossos vários Estados da Federação. Um dos Estados que não me sai da cabeça, é o Maranhão.
A população total do Estado de Maranhão é de 5.651.475 de habitantes. O Maranhão ocupa a segunda pior posição no ranking brasileiro do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Só perde para Alagoas, a terra do Collor.

IDH Brasil: 0,79
O IDH do Maranhão é de parcos 0,647.

Maranhão é a terra (ou seria capitania hereditária?) dos Sarney. Afinal, foram anos e anos sob o seu domínio político. Entretanto, ao invés de cuidarem da população fazendo nada mais nada menos do que o seu dever, preferiram se dedicar ao poder pelo poder e deixaram de cuidar do saneamento básico, da saúde e da educação.

O poder pelo poder traz dissabores.

Entre os processos que correm no TCU há o de número 004.920 contra a Roseana Sarney. Foi aberto em 2001. Refere-se à contratação das empreiteiras Gautama e OAS pelo governo do Maranhão, à época sob a regência de Roseana. Envolve a construção da adutora Italuis, de abastecimento de água da capital maranhense. Uma obra orçada em R$ 300,4 milhões. A Gautama é a empresa que está sendo investigada pela “Operação Navalha” da Polícia Federal, sob suspeita de fraudes.

Há também o caso “Lumus”, quando foi encontrada uma montanha de dinheiro com Roseana e seu marido Murad, sem comprovação de origem, dinheiro esse destinado à campanha política para sua reeleição à governadora. Essa apreensão nunca foi explicada e nunca se abriu qualquer processo contra o casal.

O atual governador do Maranhão também está sendo investigado. Diálogos entre sobrinhos do governador e representante da Gautama confirmam recebimento de propina. De acordo com a PF, Maria de Fátima Palmeira, diretora da Gautama, teria repassado R$ 240 mil, a título de propina, a Alexandre Maia Lago e Francisco de Paula Lima Júnior, conhecido como Paulo Lago. Os dois são sobrinhos do governador do Maranhão, Jackson Lago. A entrega, de acordo com os relatórios da investigação, teria ocorrido no Alvorada Hotel, no Setor Hoteleiro Sul, por decisão do próprio Jackson Lago, no dia 21 de março. No dia seguinte, Fátima relatou a João Manoel a entrega do dinheiro feita aos sobrinhos do governador, esclarecendo que o pagamento se destinava a garantir vantagem em contratos públicos.

Além disso, Jackson Lago montou o que seria a maior rede de nepotismo do País, empregando 23 parentes e contra parentes na administração do Estado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Por essas e por outras, o Maranhão também apresentou o maior índice de reprovação na primeira etapa do Exame de Ordem (OAB) entre estados do Nordeste. Enquanto a média geral de aprovação na região foi de 63,78%, o Estado aprovou apenas 40,78% dos inscritos.

Mas que os maranhenses não se preocupem. Eles ainda contam com o Sarney como senador da República. Resta saber se isso ajuda ou atrapalha.










Nenhum comentário:

Postar um comentário