2.5.07

O fraco poder do cidadão comum


Caiu-me nas mãos dia destes uma revista da OAB – Seção Paraná.
Entre as várias notícias, havia uma campanha da entidade, em página dupla, propondo reduzir o número de deputados federais dos atuais 513 (sim, 513 deputados, acreditem!), para apenas 180.
Segundo a O
AB, além da economia anual de 1,9 bi no orçamento da União, a redução resultaria em melhor qualidade na seleção de candidatos (e de eleitos), mais agilidade na Câmara e melhores resultados para o país.
O número menor de deputados também reduziria o pessoal nos gabinetes e teríamos menos nomeações para cargos de confiança. O que geraria mais economia.
Agora, pasmem: a campanha é de julho de 2006, foi lançada antes da última eleição para presidente e deputados... e o que aconteceu? Nada!
Então, pensando cá com os meus botões, se a OAB, uma instituição de enorme peso político, institucional e jurídico não conseguiu nada com essa campanha até hoje, maio de 2007, qual é o verdadeiro poder de um cidadão comum?
Até onde ecoam os gritos, reclamações e demandas da sociedade comum?
Como fazer para que os próprios deputados cortem 333 colegas seus na Câmara e acabem com suas mordomias imperiais?
Vocês tão me escutando? Alô, tem alguém aí?

Nenhum comentário:

Postar um comentário