10.1.07

Coragem ou loucura?

Esse é um caso de um fotógrafo fotografando outro fotógrafo.
As fotos foram tiradas pelo fotógrafo Hans van der Vorst no Grande Canyon, EUA. São suas as descrições. A identidade do fotógrafo que aparece nas fotos é desconhecida.

“Eu estava simplesmente atônito olhando esse cara de pé naquela rocha isolada, dentro do Grand Canyon, cuja profundidade no local é de 900 metros.
O rochedo à direita é próximo e mais seguro.
Olhando o cara com suas sandálias de dedo, com uma câmera e tripé,
fiz três perguntas a mim mesmo:
1 - Como teria ele chegado à rocha?
2 – Por que não clicar a foto no rochedo à direita, que é perfeitamente seguro?
3 – Com é que ele sairia de lá?
Esse é o ponto de não retorno
Ao pôr-do–sol na linha do horizonte ao fundo, ele empacotou suas coisas
(ficando apenas com uma mão livre) e se preparou para o salto.
Isso levou dois minutos.
Neste momento, uma multidão se juntara para vê-lo, não tirando os olhos dele.
Em seguida, ele pulou com suas sandálias de dedo.
O canyon neste local tem 900 m de profundidade!
Como você pode observar, o rochedo ao lado é mais alto, assim ele tentou se lançar um pouco mais abaixo no rochedo íngreme, usando apenas um braço para se segurar.

Chegamos ao fim dessa breve história. Olhe cuidadosamente o fotógrafo. Ele está com uma câmera, um tripé e uma sacola plástica, tudo no seu ombro ou na mão esquerda. Apenas com o braço direito seria possível se agarrar ao rochedo, somando-se ainda o peso do equipamento.
Ao pular com suas sandálias de dedo, utilizou apenas mão e pé direitos para se segurar... nesse momento, tirei a fotografia.Ele encostou seu corpo no rochedo, esperou alguns segundos, jogou o equipamento sobre o rochedo, fez a escalada e foi embora seguindo seu caminho.”

Fotos e textos: Hans van der Vorst
Tradução: Julio E. Bahr

Nenhum comentário:

Postar um comentário